2019/09/02

Estudo sobre Ezequiel 47

Estudo sobre Ezequiel 47

Estudo sobre Ezequiel 47 





Ezequiel 47
O rio da vida (47.1-12)
O tema do rio que nasce no templo e corre pelo vale do Cedrom até o mar Morto com volume que aumenta rapidamente é desenvolvido de forma mais abrangente por Ezequiel, mas não é peculiar a ele. Joel conta como uma “fonte fluirá do templo do Senhor e regará o vale das Acácias” (J1 3.18), e em Zc 14.8 há uma descrição de “águas vivas” (ARA) fluindo de Jerusalém no dia do Senhor, um braço indo para o Mediterrâneo, e outro, para o mar Morto. Na visão de Ezequiel, a vegetação nasce ao longo das margens do rio, e a água no mar Morto é saneada e fervilha de peixes, à parte dos charcos e pântanos (v. 11), de onde o sal continuará sendo extraído.
No NT, essa visão se concretiza no cumprimento da profecia do nosso Senhor do derramamento do Espírito em Jo 7.37-39 (é em relação a um ou outro texto do ATOS mencionados há pouco que se faz referência com as palavras “como diz a Escritura”) e, em mais detalhes, na visão de João do “rio da água da vida” que fluía “do trono de Deus e do Cordeiro” através da nova Jerusalém, provendo sustento para a árvore da vida cujas folhas “servem para a cura das nações” (Ap 22.1,2; cf. Ez 47.12). Num sentido cristão, o rio de Ezequiel serve como um símbolo adequado daquela vida no Espírito que o evangelho oferece como presente gratuito de Deus a todos os crentes.
v. 8. a Arabá: a depressão em que está situado o mar Morto. v. 10. En-Eglaim, incerto, mas talvez deva ser identificado com Ain Feshkha, a 30 quilômetros ao norte de En-Gedi.

9) A divisão da terra (47.13—48.29)
a)  Aís fronteiras de Israel (47.13-20). A terra é delimitada a oeste pelo Mediterrâneo e a leste pelo Jordão e mar Morto. A sua fronteira norte corre para o leste a partir de um ponto na costa ao norte de Tiro, via Hazar-Enã ao pé do Hermom, até a entrada de Hamate ou Lebo-Hamate, provavelmente próximo de Ribla (cf. 6.14). A fronteira sul corre desde o ribeiro do Egito (uádi el-Arish) no oeste, via Meribá-Cades (cf. Nm 20.1-13), até Tamar (v. 19), talvez até Hazazom-Tamar de Gn 14.7, a sudoeste do mar Morto.
b) Provisões para estrangeiros residentes (47.21-23). O território nacional proporciona um lar não somente para as tribos de Israel, mas também para os estrangeiros residentes que se estabeleceram e criaram suas famílias na terra (cf. Lv 19.33,34; 24.22). Eles devem ser tratados como israelitas de nascimento e receber terras com as respectivas tribos entre as quais residem (v. 21-23). Nos séculos seguintes, essa orientação foi interpretada com relação aos prosélitos religiosos (cf. 14.7).

Índice: Ezequiel 1 Ezequiel 2 Ezequiel 3 Ezequiel 4 Ezequiel 5 Ezequiel 6 Ezequiel 7 Ezequiel 8 Ezequiel 9 Ezequiel 10 Ezequiel 11 Ezequiel 12 Ezequiel 13 Ezequiel 14 Ezequiel 15 Ezequiel 16 Ezequiel 17 Ezequiel 18 Ezequiel 19 Ezequiel 20 Ezequiel 21 Ezequiel 22 Ezequiel 23 Ezequiel 24 Ezequiel 25 Ezequiel 26 Ezequiel 27 Ezequiel 28 Ezequiel 29 Ezequiel 30 Ezequiel 31 Ezequiel 32 Ezequiel 33 Ezequiel 34 Ezequiel 35 Ezequiel 36 Ezequiel 37 Ezequiel 38 Ezequiel 39 Ezequiel 40 Ezequiel 41 Ezequiel 42 Ezequiel 43 Ezequiel 44 Ezequiel 45 Ezequiel 46 Ezequiel 47 Ezequiel 48

Um comentário: