2016/10/16

Apocalipse 16 — Exposição de Apocalipse

Exposição Bíblica





Apocalipse 16

16.1 IRA DE DEUS. Começa agora o derramamento das sete taças da ira de Deus antes da volta pessoal de Cristo à terra. Uma grande guerra mundial ocorrerá perto do fim desses julgamentos (v. 14; ver v. 16 nota; Dn 11.36-45 nota). Esses julgamentos serão mais intensos e mais severos do que os anteriores.
16.3 SE TORNOU EM SANGUE. O mar fica tão contaminado que toda criatura vivente dentro dele morre, e sua cor poluída parece sangue (Êx 7.20-25). O mesmo ocorre também às fontes e aos rios (v. 4).
16.7 JUSTOS SÃO OS TEUS JUÍZOS. Aqueles que questionam a justiça de Deus nos seus juízos, não compreendem o mal hediondo do pecado, nem a intensa ira de Deus contra ele. Um Deus santo e justo por natureza opõe-se ao mal, e o castiga (ver Jo 3.19 nota; Hb 1.9 nota; Sl 119.137).
16.9 GRANDES CALORES. Uma grande onda de calor se espalhará por toda a terra, de modo tão insuportável, que as pessoas blasfemarão contra Deus (cf. Ml 4.1). Seus corações de tão endurecidos, recusam-se a arrepender-se (ver v. 11 nota). Compare isso com a condição sublime dos que estão no céu, dos quais está escrito: “nem sol nem calma alguma cairá sobre eles” (Ap 7.16).
16.10 O TRONO DA BESTA. A quinta taça começa a lançar em confusão o domínio mundial do anticristo. Esse julgamento específico é centralizado no seu quartel-geral e nos seus seguidores.
16.11 NÃO SE ARREPENDERAM. No meio do terrível julgamento divino, homens e mulheres optarão por viver no pecado e por persistir na sua rebelião contra a justiça. O arrependimento é o único ato que pode interromper os julgamentos divinos (cf. Ap 2.21; 9.21; 16.9), mas se recusam a fazê-lo.
16.12 OS REIS DO ORIENTE. Trata-se das nações do Oriente que, impulsionadas por forças satânicas, participarão de um grande conflito, a saber, a guerra do Armagedom (ver v. 16 nota; Ap 19.17-21). O sexto anjo prepara o caminho para a guerra final da presente era, secando o rio Eufrates para deixar os exércitos do Oriente aproximarem-se de Israel (Is 11.15).
16.13 RÃS. Estes espíritos imundos são demônios que operam milagres e, assim, enganam as nações para apoiarem o mal, o pecado e o anticristo. O “dragão” é o mesmo Satanás (12.9), e a “besta” equivale ao Anticristo (Ap  13).
16.14 DEMÔNIOS, QUE FAZEM PRODÍGIOS. Durante a tribulação, os governantes das nações ficarão endemoninhados. Enganados por Satanás através de seus milagres, urdirão um plano louco que lançará o mundo inteiro num grande holocausto (ver o estudo A GRANDE TRIBULAÇÃO e O PERÍODO DO ANTICRISTO)
16.16 ARMAGEDOM. Armagedom (gr. harmagedon), localizado no centro-norte da Palestina, significa “vale do Megido” será o ponto central da batalha, naquele grande dia do Deus Todo-poderoso (v. 14). Essa guerra será travada perto do fim da tribulação, e acabará quando Cristo voltar para destruir os ímpios (ver Ap 14.19 nota), para libertar o seu povo e para inaugurar seu reino messiânico. Note os seguintes fatos no tocante a esse evento. (1) Os profetas do AT profetizaram o evento (Dt 32.43; Jr 25.31; Jl 3.2,9-17; Sf 3.8; Zc 14.2-5). (2) Satanás e os seus demônios reunirão muitas nações sob a direção do anticristo a fim de guerrearem contra Deus, contra seus exércitos, contra seu povo e para destruir Jerusalém (vv. 13,14,16; Ap 17.14; 19.14,19 ; ver também Ez 38,39 ; Zc 14.2). Embora o ponto central esteja na terra de Israel, o evento do Armagedom envolverá a totalidade do mundo (Jr 25.29-38). (3) Cristo voltará e intervirá de modo sobrenatural, destruindo o anticristo e os seus exércitos (19.19-21; Zc 14.1-5), e todos aqueles que desobedecem ao evangelho (Sl 110.5; Is 66.15,16; 2 Ts 1.7-10). Deus também enviará destruição e terremotos sobre o mundo inteiro nesse período (vv. 18,19; Jr 25.29-33).

Nenhum comentário:

Postar um comentário