2009/08/10

Comentário de John Gill: João 2:18-19

comentário do evangelho de joão 2:18 - Então responderam os Judeus, e disseram-lhe,... Eles não puseram mãos nele, ou ofereceram qualquer violência contra ele; eles não fizeram como os habitantes de Nazaré fizeram, o empurrando para fora, e o conduzindo a um precipício, para os lançarem fora; nem eles levaram pedras para apedrejá-lo, como fizeram depois eles, quando ele afirmou a sua deidade: e é surpreendente que eles não se levantaram e o destruíram imediatamente, um único homem, desarmado, e sem ajuda, tendo tão altamente os provocado; cuja restrição era devido ao seu poder grandioso: nem eles negam o que ele sugeriu, que eles tinham feito da casa do Pai uma casa de mercadoria; nem eles oferecem a vindicar a profanação deles do templo, ou contestam a acusação; só queriam uma prova do direito dele para fazer isso: e qual demanda foi feita, não pelas pessoas comuns, ou pelos vendedores de bois, ovelhas, e pombas, e os cambistas de dinheiro que estavam fora com o rebanho e não tiveram espírito para reunir as cosias novamente; mas pelos sacerdotes principais e anciões, o Sinédrio da nação que tinha o cuidado e governo do templo debaixo de sua autoridade; e de quem ganhavam o interesse mundano promovido por estes meios, como uma igual demanda foi feita depois pelas mesmas pessoas; veja Mat. 21:23;

Que sinais tens para nos mostrar, visto que fazes estas coisas? Eles discutiram com ele, de que ou ele fez estas coisas dele, pela sua própria autoridade, e então eles deviam ser julgados por essa ação injustificável; ou ele fez isto pela autoridade de outros: eles sabiam que isso não fora feito pelos seus, que eram o grande conselho da nação, de quem ele deveria ter tido as instruções e ordens, se ele agisse através de autoridade humana; e se ele fingisse uma autoridade divina, como supuseram eles que ele fez, então eles insistiram em um sinal ou milagre para ser operado, para provar que Deus era o seu Pai, como sugeriu ele; e que ele era o proprietário e dono do templo, e tinha um direito para fazer isto, como tinha feito ele; veja 1Co. 1:22.

2:19 - Jesus respondeu e disse a eles,... Em uma forma obscura e enigmática, embora muito próprio e pertinente; visto que era com respeito ao templo, e seu poder sobre ele, e o direito de expulsá-los, e assim um sinal seria exigido dele:

Derribai este templo;... Apontando, por assim dizer, com o dedo para seu corpo; porque era deste que ele estava falando, como parece de João 2:21, a dissolução do corpo pela morte é o que ele quer dizer, a separação de sua alma e de seu corpo, embora não de sua pessoa divina: e deve ser entendido, não como uma ordem, ou como uma exortação, e conselho a eles, para destruir seu corpo; mas antes, como uma profecia do que eles iriam fazer; ou apontando o caso, de que eles deviam, como ele sabia que eles iriam destruir seu corpo, então disse ele, como um sinal de ter poder para fazer o que ele tinha feito.

Em três dias eu levantarei de novo;... Pela qual ele pareceria ser o Filho de Deus, com poder, que tinha o poder de entregar sua vida, e tomá-la de volta;[1] e é claro, a saber, a sua ressurreição de entre os mortos no terceiro dia, que ele dá aos Judeus, quando eles buscavam dele em uma outra ocasião e sobre outra situação.

___________
Notas

[1] Cf. João 10:18. N do T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário