2009/06/16

Comentário de João 9:17-19

9:17 - Eles disseram novamente ao homem cego:… Depois que eles tinham discutido entre eles, e não podiam chegar a um acordo sobre o autor do milagre, eles se comentario do evangelho de João, comentario biblicovoltaram para aquele que tinha sido cego, que chamavam o homem cego, por que ele tinha sido assim, e perguntaram quais eram os seus sentimentos para com o assunto:

O que dizes dele, visto que ele te abriu os olhos? A pergunta parece, à primeira vista, como se fosse se Jesus abriu ou não os seus olhos; mas pela resposta parece que requeria um pensamento dele, “que lhe abriu os teus olhos”, como nas versões da Vulgata Latina e Persa leem; ou “visão”, ou “porque ele tem aberto os teus olhos””, como as versões Árabe e Etíope:

Ele é um profeta. As versões Siríaca e Persa leem, “eu digo que ele é um profeta”; ou, “ele é certamente um profeta”, como a versão Árabe. Os Judeus costumavam classificar um homem profeta mediante os milagres que ele realizava; veja João 6:14; embora não pareça que ele acreditasse nele, como sendo aquele profeta, ou o Messias que havia de vir; veja João 9:36.

9:18 - Mas os Judeus não acreditaram com respeito a ele,… Não Jesus, mas o homem cego.

Que ele tinha sido cego e recebera visão;… Eles imaginavam que era uma fraude nesse caso, que era um plano entre Jesus e esse homem; que ele era um homem que nunca tinha sido cego, mas fingia ter sido curado de sua cegueira por meio de Jesus, com o propósito de espalhar a sua fama e induzir as pessoas a acreditarem que ele era o Cristo; e nessa imaginação eles se esforçavam a fortalecer-se a aos outros:

Até que chamaram os pais daquele que tinha recebido sua visão;... Eles enviaram mensageiros a eles e os colocaram diante deles, para que eles pudessem examiná-los quanto ao caso, esperando que eles pudessem conseguir algo deles, e que pudessem assim detectar a fraude, e trazer Jesus à desgraça.

9:19 - E eles lhe perguntaram, dizendo: é este teu filho,… A primeira pergunta que eles fizeram era se o homem de pé diante deles, apontando para ele, era filho deles ou não; se eles o conheciam por qualquer traço como sendo seu filho, e o se reconheceria como tal: tivessem eles respondido de forma negativa, eles teriam conseguido uma vantagem contra ele, e o teria convencido de uma mentira, visto que ele tinha anunciado que ele era filho deles; e isso provaria uma mentira dele, o que colocaria o inteiro assunto em suspeita: eles acrescentam:

Que dizes ter nascido cego;… Isso contém uma segunda pergunta, se ele tinha nascido cego ou não, e se ele não tivesse nascido cego, isso iria, com certeza, diminuir o milagre grandemente, e por quais meios a cura esse milagre veio. Assim, segue uma terceira pergunta:
Como agora ele vê? Por quais meios tem ele recebido visão? Eles podiam esperar que se ele fosse filho deles e realmente nascido cego, ele podia ter recebido alguma visão de algum modo por Jesus; ou eles podiam objetar do fato dele ter nascido cego, como sendo uma coisa impossível, ou, pelo menos, que não era algo digno de confiança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário