2019/09/10

Apocalipse 21:2 — Comentário de John Gill

Apocalipse 21:1 — Comentário de John Gill

Comentário de John Gill: Apocalipse 21:2







Apocalipse 21:2

E eu João vi a cidade santa,... O mesmo que a cidade amada em Ap 20: 9 a igreja de Deus: às vezes o militante da igreja é chamado de cidade, da qual os santos são agora concidadãos, governados por leis salutares, e desfrutando de muitos privilégios; mas aqui a assembleia geral e a igreja dos primogênitos, ou todos os eleitos de Deus, são planejadas; todo o corpo e a sociedade deles, sendo uma cidade, compacta; chamada santa, não apenas porque separada para a santidade por Deus Pai, e seus pecados expiados pelo sangue de Cristo, ou porque ela é feita santificação para eles, ou porque santificada internamente pelo Espírito de Deus, que agora é apenas em parte ; mas porque eles serão perfeitamente santos em si mesmos, sem o pecado neles, ou qualquer mancha neles: e João, por mais forte que apura a verdade dessa visão, expressa seu nome, que a viu, a quem Deus enviou seu anjo, e significou a ele por essas visões apocalípticas o que deveria ser a seguir; embora o nome seja deixado de fora na cópia alexandrina e nas versões siríaca, árabe e etiópica:

nova Jerusalém;... a igreja de Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento, é frequentemente chamada Jerusalém, com a qual seu nome, que significa a visão da paz, concorda; era a cidade do grande rei, para onde as tribos subiam para adorar; era uma cidade livre e fortificada: o estado da igreja evangélica em sua imperfeição é chamado Jerusalém celeste, e a Jerusalém acima, que é livre e a mãe de todos; e aqui a igreja em seu estado perfeito é chamada de nova Jerusalém, onde haverá completa paz e prosperidade; e que é chamado de novo, porque tem seu assento no novo céu e nova terra; cujos habitantes aparecerão em suas novas e brilhantes vestes de imortalidade e glória; e distingui-la da antiga Jerusalém e até do antigo estado da igreja; pois isso será תליתאה “a terceira vez” que Jerusalém será construída, como dizem os judeus, a saber, no tempo do rei Messias (Zohar em Gen. fol. 126. 4.):

descendo de Deus do céu;... que não projeta o original espiritual e celestial dos santos, nascendo do alto, pelo que a igreja é chamada de Jerusalém celestial; mas uma descida local de todos os santos com Cristo do terceiro céu para o ar, onde serão encontrados pelos santos vivos; e, levantando seus corpos e unindo-se à alma, reinarão com Cristo na nova terra.

“...o edifício que os judeus dizem que Deus preparará para a Jerusalém que está acima, לנחתא, “que desce”“ ( Ib. fol. 103. 4.):

preparada como uma noiva adornada para o marido;... Cristo é o marido, ou noivo, e a igreja é sua esposa e noiva; e nesses personagens ambos aparecerão neste momento, quando o casamento entre eles será consumado: e pode-se dizer que a igreja está preparada como tal, quando todos os eleitos de Deus estiverem reunidos, o número de santos será aperfeiçoado ; quando a boa obra da graça terminar em todos eles, e todos estiverem vestidos na justiça de Cristo; e para serem “adornados”, quando não apenas estiverem vestidos com o manto da justiça, e com roupas de salvação, e forem embelezados com as graças do Espírito, mas também com as vestes brilhantes da imortalidade e glória. A frase é judaica e deve ser lida exatamente como aqui no livro do Zohar (Zohar em Gen. fol. 53. 2.).


Nenhum comentário:

Postar um comentário