2009/05/28

Comentário de John Gill: João 5:26-27

5:26 - Porque, assim como o Pai tem vida em si mesmo,... Como ele é o Deus vivo, a fonte de vida, e é o autor da vida de toda criatura vivente; ou, antes, tem vida eterna em sua mente, coração, seu conselho, e sua aliança, e suas mãos, por todos os seus escolhidos, que parece ser o sentido peculiar aqui:

Assim tem ele determinado ao Filho ter vida em si mesmo;... Ele não só tem feito o propósito disso em Cristo, e determinado a promessa da vida por meio dele; mas, até mesmo, a própria vida eterna, ele pôs nas suas mãos, e assegurou isso nele por eles, 1 João 5:11, para dá-la a tantos quantos lhe foi dado: e ele dá vida a todas as suas ovelhas, de forma que nenhuma delas perecerá; os quais mostra que ele e o seu Pai são um, embora não em pessoa, contudo, em afeto, vontade e poder, assim em natureza e essência. O Filho tem vida nele, essencial, original e sem derivar de ninguém, assim como o Pai tem, enquanto sendo igualmente o Deus vivo, a fonte da vida, e doador dela, como ele; e então esta não é uma vida que ele dá, ou comunica a ele; mas a vida eterna é o que a pessoa dá, e o outro recebe, de acordo com a economia da salvação resolvida entre eles: e consequentemente, todo aquele que ouve espiritualmente a voz de Cristo viverá eternamente; porque estas palavras são a razão da anterior, e confirma a verdade delas, como também mostra a igualdade do Filho com o Pai, nisso ele é igual a tal confiança, quanto a ter vida eterna em si mesmo.

5:27 - E também tem dado a ele autoridade para executar julgamento,... Tanto na sua igreja e reino, no presente estado de coisas, e no último dia, quando todos ficarão de pé diante da cadeira do julgamento:

Porque ele é o Filho do Homem;... Verdadeira e corretamente homem; porque, embora ele estivesse na forma de Deus, e igual a ele, contudo, se tornou homem, e estava na forma de um servo: e assim lê a versão Etíope, “porque o Filho de Deus é o Filho do homem”; e, então, é entregue a autoridade de executar julgamento, de acordo com o conselho e convenção de paz, a ele; ou que os homens poderiam ter um juiz visível, ou seja, julgamento diante da própria natureza deles: concordemente, a versão Persa verte, “porque o próprio Filho é ele que julga os filhos dos homens”; ou, antes, porque ele é aquele Filho do homem falado na profecia, especialmente em Dan. 7:13; por quem é significado o Messias, como os Judeus dizem eles mesmo,
[1] e que não era um mero homem, mas o homem em associação com Deus; e sendo assim onisciente e onipotente, era igual em tal trabalho que, caso contrário, ele não teria sido; Veja notas de Gill em João 5:22. A versão Siríaca une esta cláusula ao começo de João 5:28, e lê isto assim, “porque ele é o filho do homem, não se maravilhe disto”; não deixe que isso traga qualquer obstrução a sua fé do levantar dos mortos nele, e tendo autoridade para executar julgamento em todos; visto que, embora filho do homem, ele não é um mero homem, mas Deus acima de tudo, como o que é atribuído a ele.


Fonte: John Gill's Exposition of the Entire Bible

___________
Notas:
[1] Zohar em Gen. fol. 85. 4. Bemidbar Rabba, sect. 13. fol. 209. 4. Jarchi & Saadiah Gaon em Dan. vii. 13. & R. Jeshuah em Aben Ezra em ib.

Nenhum comentário:

Postar um comentário