2009/08/07

Comentário de John Gill: João 1:13

comentário do evangelho de joão
1:13 Os quais não nasceram de sangue,... Ou de sangues, no plural. O nascimento, aqui mencionado, é a regeneração, expressado por ser nascido de novo, ou de cima;[1] por ser levantado pelo Espírito e graça de Deus; e por Cristo ser formado nos homens; por participarem da natureza divina; e por serem feitos novas criaturas, como todos os que acreditam no nome de Cristo são; e que é a evidência deles serem Filhos de Deus; mas isso não é devido a sangue, ou sangues; não ao sangue da circuncisão; ou da Páscoa, que os judeus tinham em alta consideração, e atribuía a suas vidas e salvação, e para cuja opinião deve-se se opor: assim seus comentadores[2] sobre Eze. 16:6 aonde a palavra “vida” é usado duas vezes, observam pela primeira “vida”, o sangue pascoal, a segunda “vida”, pelo sangue da circuncisão; mas, eis que isso não contribui em nada para a vida da nova criatura: nem é a regeneração pertencente ao sangue dos ancestrais, aos descendentes naturais, como de Abraão, que os Judeus tanto se vangloriavam, mas o sangue de Cristo, que nos purifica de todo pecado.

Nem da vontade da carne;... Da vontade, que é carnal e corrupta, é inimiga de Deus, e impotente a tudo que é bom: a regeneração é atribuída a uma outra vontade e poder, a própria vontade e o poder de Deus:

Nem da vontade do homem: Do melhor dos homens, como Abraão, Davi, e os outros; que, embora tão dispostos e desejosos que seus filhos, parentes, amigos e servos, pudessem nascer de novo, e serem participantes da graça de Deus, e vivessem em sua vista, ainda assim não puderam efetuar nada dessa natureza: tudo que eles podem fazer é orar por eles, dar conselhos, e trazê-los debaixo dos meios da graça; mas tudo isso não tem efeito sem a energia divina. Assim os Judeus dizem que, איש, “um homem”, significa um grande homem, em oposição a “Adão”, ou “Enoque”, que significa fraco, homem frágil; e nossos tradutores têm observado essa distinção, em Isa 2:9 e o homem simples (Adão) ajoelhado, e o grande homem (Ish) “se humilha”: sobre o qual Jarchi tem essa nota: “Adão se ajoelha”, i.e. homens pequenos; “e um homem se humilha”; i.e. príncipes, e homens poderosos, homens de poder: e assim Kimchi sobre Sal 4:2. “Ó filhos dos homens”, observa, que o salmista os chama de filhos dos homens, com respeito aos grandes de Israel; porque havia com Absalão os filhos dos grandes homens. Embora, às vezes, os Judeus digam[3] que Adão é maior do que qualquer nome dos homens, como Geber, Enoque, Ish. Mas agora o evangelista observa, que um homem é assim tão grande, ou bom, ou eminente, por dádiva e graça, ele não pode comunicar graça a um outro; nem são nascidos de novo de qualquer outra vontade:

Mas de Deus;… De Deus, o Pai de Cristo, que gera para a esperança viva; e do Filho, que dá vida a quem quiser; e da graça do Espírito, a quem a regeneração geralmente é atribuída,


_____________
Notas
[1] Cf. João 3:3. N do T.
[2] Jarchi & Kimchi em loc. Shemot Rabba, sec. 19. fol. 103. 2. & 104. 4. & Mattanot Cehuna em Vajikra Rabba, sec. 23. fol. 164. 2. Zohar em Lev. fol. 39. 2.
[3] Zohar em Lev. fol. 20. 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário