2009/08/07

Comentário de John Gill: João 1:22-23

comentário do evangelho de joão 1:22 - Então disse a ele, quem és?... Visto que, como ainda, ele tinha apenas respondido negativamente, quem ele tinha sido, que ele não era o Cristo, nem Elias, nem aquele profeta; eles desejavam que ele desse um relato positivo de quem ele era:

Para que possamos dar uma resposta a quem nos envio;... Para que o labor deles não fosse em vão; para que eles não viessem de tão longe por nada, sem saber quem ele era; e que eles pudessem ser capazes de dar um relato dele ao Sinédrio:

O que dizes de ti mesmo? Eles insistiram nisso, que ele declararia aberta e honestamente quem ele era, e o que era seu ofício e negócio; que de sua própria boca, e não da opinião e conjectura dos outros, eles podem representá-lo na verdadeira luz para aqueles que os tinham enviado.

1:23 - E ele disse, eu sou a voz clamando no ermo,… Estas palavras são citadas pelos outros evangelistas, e aplicadas a João Batista; embora elas só serão consideradas como a citação deles, e como uma aplicação deles para ele por eles: mas aqui elas são usadas pelo próprio João, que tanto as expressa, como também interpreta-as dele mesmo; e em qual ele estava indubitavelmente debaixo da direção infalível do Espírito Abençoado; e que confirma o sentido dos evangelistas que aplicam as palavras a ele. Os judeus dão uma interpretação diferente das palavras; embora um dos seus comentaristas célebres[1] diga que os confortos falados nos versículos precedentes são o que estará presente pelos dias do Messias como Rei: um deles[2] interpreta a palavra “a voz”, se referindo ao Espírito Santo; e o que, sem sombra de dúvidas, pode ser verdade, visto que João estava cheio com o Espírito Santo, e ele falou por ele no seu ministério: e outro,[3] da ressurreição dos mortos, ou a voz que será ouvida então, que será a voz do arcanjo: embora outro deles[4] explique melhor isto por, הם המבשרים, “aqueles que são os que trazem boas novas”, ou notícias boas; tais são os pastores do Evangelho; só deveriam ter estado no singular: porque o texto fala de uma voz; de uma pessoa clamando; e de João Batista que trouxe as boas notícias e novidades alegres de que o Messias estava vindo, sim que ele já chegou, e que o reino do céu estava próximo. Os escritores hebreus geralmente entendem a passagem, do retorno dos judeus do cativeiro de Babilônia, e de remover todas as obstruções do caminho deles para Jerusalém; para o qual sentido do Targum no lugar inclina e parafraseia assim:

“A voz dele que clama no deserto, prepare o caminho diante do Senhor, fazei plano os caminhos diante da congregação de nosso Deus”:

Mas não as pessoas do Senhor, mas o próprio Deus, e não a congregação de Deus, mas o próprio Deus é planejado aqui; de cujos caminhos são preparados, e aplainados, sim, o próprio o Messias Rei; que seria feito, e era terminado pelo precursor dele, João Batista, com grande modéstia, que se expressa no idioma das Escrituras, como sendo uma profecia dele: ele era uma “voz”, mas não uma mera voz; nem era o seu ministério uma mera voz de palavras, como era a lei, mas era a doce voz do Evangelho, enquanto proclamando a vinda do Messias; encorajando os homens a acreditarem nele; os chamados ao arrependimento evangélico, e a publicação do perdão de pecados no nome de Cristo, e a exibição dele como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo: esta voz estava clamando; não era uma voz pequena imóvel, era uma muito alta; João ergueu para cima a sua voz como uma trombeta, que ele se entregou com grande zelo e fervor; e esta voz estava “no ermo” onde esta voz foi ouvida, no deserto da Judéia, como em Mat. 3:1, onde Jesus veio, enquanto pregando; a versão de Etíope verte assim as palavras: “eu sou a voz de alguém que anda no ermo”; quer dizer, nas várias cidades e aldeias que estavam no deserto, para quem entrou João e pregou o Evangelho: a versão de Persa lê: “eu sou a voz e o grito que vem do ermo”; recorrendo ao lugar onde ele estava antes dele entrar no seu ministério público, e de onde ele veio; porque ele estava nos desertos até o dia da sua exibição para a nação de Israel, Luc 1:80. As palavras que esta voz clamou foram...

Fazei reto o caminho do Senhor;… Ele chamou as pessoas para reformar seus caminhos, e andarem de maneira digna do Senhor, se arrependerem de seus pecados, acreditarem em Cristo, e se submeterem à ordenança do batismo: e versão Etíope lê: “os caminhos de Deus”; e tal era a pessoa para quem ele veio preparar o caminho, o próprio Filho de Deus, e que é verdadeira e apropriadamente Deus.

Como disse o profeta Isaías,... Em Isaías 40:3.

____________
Notas

[1] Kimchi em Isa. xl. 1.
[2] Jarchi em Isa xl. 3.
[3] Zohar em Gen. fol. 70. 4.
[4] Aben Ezra em Isa. ib.

Um comentário:

  1. Muito bom! Parabéns, John. Consegui tirar uma dúvida e queria agradecer. Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir