2009/08/10

Comentário de John Gill: João 1:46

comentário do evangelho de joão 1:46 - E Natanael disse a ele,... Tomando nota disso, e levando em consideração o que Felipe disse, que ele era de Nazaré, que, à princípio, o fez tropeçar e prejudicar contra Jesus, de ser ele o Messias; sabendo muito pouco que Belém devia ser o lugar de seu nascimento:

Pode alguma coisa boa sair de Nazaré? O país inteiro de Galiléia foi tido em desprezo com os Judeus; mas Nazaré era tão má como um lugar na mente deles, que parece ter sido menosprezada até mesmo por seus vizinhos, pelos próprios Galileus; porque Natanael era um Galileu, e mesmo assim disse estas palavras. Era tão miserável lugar que ele quase não poderia pensar que qualquer coisa boa, até mesmo qualquer coisa boa mundana, pudesse vir de lá; e era um lugar tão ruim, como parece sobre os desígnios de assassinarem o próprio Senhor deles, que ele pensou que nenhum homem bom pudesse consequentemente surgir de lá; e ainda menos, qualquer profeta, qualquer pessoa de grande nota; e ainda pior de tudo, que aquela pessoa mais esperada de todas as outras, o Messias, deveria vir de lá: de forma que a objeção dele, não só procedeu no oráculo em Mic 5:2 que mostra Belém como o local de nascimento do Messias; mas na maldade, e obscuridade de Nazaré,

Felipe disse a ele, vem e vê;… Que, embora ele não pudesse ser o mestre nesse assunto, e não sabia como resolver essa dificuldade, e remover o preconceito da mente de Natanael, ainda o persuade a ir com ele até Jesus; o que ele não negou, e que daria plena satisfação nele, e todos os outros pontos; e então iria muito claramente aparecer a ele, como tinha-lhe sido, de que ele era o verdadeiro Messias. A frase, תא חזי, “vem e vê”, é frequentemente usado do livro de Zohar:[1] assim é, e da mesma forma בא וראה, “vem e vê” nos escritos Talmúdicos.[2]


_____________
Notas

[1] Em Gen. fol. 13. 1. & 14. 3. & 16. 1, 2. & em Exod. fol. 83. 4. & passim.
[2] T. Bab. Taanith, fol. 8. 1. & 23. 2. & 24. 1. Kiddushin, fol. 20. 1. & 33. 1. & Sota, fol. 5. 1, 2. & passim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário