2019/08/23

Apocalipse 6 — Explicação das Escrituras

Apocalipse — Explicação das Escrituras

Apocalipse 6 — Explicação de Apocalipse



Apocalipse 6

6.2 Cavalo branco. Cf. Zc 6.1ss. Alguns encontram aqui uma representação do anticristo (cf. Mt 24.15, 2 Ts 21-11). Mas a cor branca indica que Cristo é o cavaleiro (no Apocalipse ”branco” sempre se refere ou é associado com Cristo). A pregação do evangelho pelo mundo afora não deixará de marcar notáveis sucessos. Vencendo e para vencer. A vitória de Cristo será total no fim dos acontecimentos (19.11 -16).
6.4 Vermelho. Esta visão simboliza a guerra. Espada. O instrumento da morte; metaforicamente, significa a própria guerra (Mt 10.34).
6.5 Preto. Símbolo de fome como consequência trágica da guerra, em harmonia com a interpretação da balança como símbolo das condições difíceis da falta de provisões. A comida básica se vende a preço de ouro, sendo que a provisão de um dia se comprará pelo salário de um dia de trabalho. Normalmente, um denário (v. 6) compraria entre doze e quinze vezes a comida necessária para um homem.
6.6 Medida (gr choinix, c. de um litro de cereais). Denário, moeda de prata. Azeite e o vinho. Indica este versículo falta mas não fome.
6.8 Amarelo (gr chlõros, “verde claro”, “amarelento”, “pálido”). Uma cor doentia e repulsiva, simbolizando a pestilência e a morte. Morte. É personificada (cf. 1 Co 15.26; Rm 5.14, 17; 6.9). Inferno (gr hades), o sepulcro ou habitação dos mortos (cf. sheol no AT). No NT, é companheiro da morte (cf. 1 Co 15.55; Ap 6.8; 20.13-14). Autoridade. Poder ou capacidade para matar: 1) Com a espada de guerra (gr hromfaia), veja também Ap 2.16 ; 19.21; 2) Pela fome, provocada pela guerra; 3) Com a mortandade, talvez a pestilência que acompanha a guerra, e pela fome; 4) Por meio das feras (cf. 2 Rs 17.25). Os romanos lançavam os cristãos e pessoas consideradas como criminosas às feras na arena, em espetáculo público. Estes sinais são definidos por Cristo como indicações da Sua segunda vinda (Cf. Mt 24.6-28 e paralelos).
6.11 Vestidura Branca. Este símbolo da justiça e da pureza ele Cristo é dado aos santos martirizados, debaixo do altar (v. 9), simbolizando a morte sacrificial (mas não redentora) dos mártires (cf. Fp 2.17; 2 Tm 4.6 com Lv. 4.7). É o sangue dos mártires que reivindica o julgamento de Deus sobre os injustos perseguidores. Há um número dos eleitos, que se completará por conversão antes da Vinda de Cristo (Rm 11.12n). Assim, também, o profeta prevê que haverá mais mártires antes da vinda de Cristo.
6.12 Terremoto. Faz parte da alteração física da terra antes da transformação da criação (16.18; Rm 8.18-23). Ou pode ser uma parte das calamidades que marcarão o fim do mundo. Ou ainda pode ser um dos portentos que prenunciam julgamento divino final, ao lado dos demais sinais nos vv. 12 e 13. Toda a descrição deste sexto selo lembra a profecia de Jesus sobre os acontecimentos cósmicos que, anteciparão Sua volta (Mt 24.29)

Índice: Apocalipse 1 Apocalipse 2 Apocalipse 3 Apocalipse 4 Apocalipse 5 Apocalipse 6 Apocalipse 7 Apocalipse 8 Apocalipse 9 Apocalipse 10 Apocalipse 11 Apocalipse 12 Apocalipse 13 Apocalipse 14 Apocalipse 15 Apocalipse 16 Apocalipse 17 Apocalipse 18 Apocalipse 19 Apocalipse 20 Apocalipse 21 Apocalipse 22

Nenhum comentário:

Postar um comentário