2009/05/14

Comentário de João 4:10

Jesus respondeu e disse a ela,... De uma maneira muito séria, em uma forma diferente da dela:

Se soubesses da dádiva de Deus;... Querendo dizer, não o Espírito Santo com seus dons e graça, como alguns pensam, mas de si mesmo; porque a clausula seguinte é explanatória dessa.

E quem é aquele te diz: dá-me de beber;... Cristo também é mencionado no Antigo Testamento, como o presente de Deus, em Isa 9:6 e ele tinham falado ultimamente dele como tal
[1], João 3:16 e ele é, por via de eminência, “a dádiva de Deus”; que é compreensivo de todos os outros, está excedendo sobremaneira, e muito satisfatória aos desejos e casos dos homens; e é irrevogável, inalterável, inefável, e indizível: porque ele é o presente de Deus, como é ele o seu próprio Filho Unigênito; e ele é dado como aliança para as pessoas, com todas as suas promessas e bênçãos; e como cabeça, tanto com eminência e influência; sendo ele um Salvador para eles, e um sacrifício para os seus pecados; e como o pão da vida, para eles se alimentarem e viverem por meio dele; de cujo presente os homens são naturalmente ignorantes, como era esta mulher: eles não sabiam da dignidade da sua pessoa; nem a natureza e utilidade dos seus ofícios; nem o caminho da paz, retidão, e salvação por ele; nem eles veem qualquer prazer nele, ou graça; e qualquer conhecimento nocional que alguns homens naturais podem ter dele, eles não o conhecem espiritual e experimentalmente, ou como o presente de Deus para eles:

Tu lhe terias pedido;... Como um favor e benefício; porque quem verdadeiramente conhece Cristo, o valor dele, e a necessidade deles de conhecê-lo, solicitará a ele graça, como eles têm encorajamento para fazer; visto que toda a graça é entesourada nele, e ele dá isto generosamente, e sem censurar;
[2] e as almas são convidadas a pedir isto a ele, e a tomá-lo gratuitamente; nem pode ser conseguido em qualquer outro lugar: mas o conhecimento de Cristo é absolutamente necessário para solicitar qualquer coisa a ele; pois até que ele seja conhecido, ele não será solicitado; mas quando ele é feito conhecido a qualquer um, na plenitude do tempo apropriado, eles terão o recurso a ele pedido, segundo a sua graça e clemência; e que é concedido generosamente: A Vulgata Latina acrescenta erroneamente, “talvez”; lendo assim, “talvez terias pedido”; considerando que o significado de nosso Senhor é que ela teria certamente pedido:

E ele lhe teria dado água viva;... Perdoando e justificando por graça, cada traço de graça justificadora, e todos os seus suprimentos; assim chamado porque a sua graça levanta os mortos em seus pecados, e mortos na lei, e em suas próprias apreensões; e os faz viver neles, e diante de Deus; e porque refresca e conforta, reaviva e anima, e é como rios de água em uma terra seca; e porque mantém e sustém vida espiritual nas suas almas; e faz continuar a vida, e de onde se origina vida eterna: porque a alusão aqui é a fonte de água, que borbulha no fundo como em uma fonte, sempre correndo; pois tal água os Judeus chamam de “água viva”;
[3] veja Gên. 26:19; onde no texto hebraico está “água viva”; o qual nós, e também o paráfrase Caldeu verte “fonte de água”. Assim águas vivas com eles, é dito como sempre corrente, e nunca cessando.[4]



Fonte: John Gill's Exposition of the Entire Bible


______________
Notas:
[1] “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu...” É ao verbo נתן (Hebr.: nathân) traduzido como “dar”, que Gill está fazendo referência ao Senhor Jesus como “dádiva” da parte de Deus. Cf. Tiago 1:17 N do T
[2] Cf. Tiago 1:5. N do T.
[3] Versões onde é traduzido por “água viva”, ACF, BJ, AMP, DRB, LBP, UPDV, YLT, Brenton, Rotherham. N do T.
[4] Bartenora em Misn. Negaim, c. 14. seç. 1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário