2020/10/06

Apocalipse 10 — Contexto Histórico Cultural

  Apocalipse 10 — Contexto Histórico Cultural




10:1-7

Os Mistérios do Fim

10:1. A literatura judaica retrata vários anjos tão altos quanto os céus mais altos, frequentemente brilhando como o sol (2 Enoque; 3 Enoque; rabinos; cf. Dan 10:6; cf. a figura grega Atlas). Ambos os anjos maus (1 Enoque) e anjos bons podem ser muito altos. Às vezes, eles eram coroados (por exemplo, 2 Enoque; 3 Enoque), neste caso com um arco-íris; em 3 Enoque, até a coroa tem uma jornada de mais de quinhentos anos. (Às vezes, essa linguagem também era usada figurativamente, por exemplo, para um sumo sacerdote em particular.) João empresta a imagem de sua época para um anjo poderoso sobre a criação (ver comentário em Apocalipse 7:1). Os apocalipses normalmente retratavam esses anjos gloriosos para implicar a majestade infinitamente maior de seu criador.

 

10:2. Os selos tendo sido abertos (6:1-8:1), o conteúdo do livro pode agora ser examinado (“aberto”). A enormidade do anjo e seus pés na terra e no mar podem indicar o quão grande é o seu domínio.

 

10:3-4. Algo permanece selado (cf. 22:10), indicando que alguns mistérios devem permanecer mistérios até o fim (Dt 29:29). Sobre revelações indizíveis, veja o comentário em 2 Coríntios 12:2-4. O texto implica que João está tomando notas (como às vezes os alunos rabínicos ou especialmente gregos faziam) ou escrevendo o que ouve e vê; alguém poderia escrever visões ou declarações como os outros as estavam tendo (por exemplo, Testamento de Jó 51, uma seção reconhecidamente de data incerta).

 

10:5-6. Erguer a mão em direção a um deus era usado em fórmulas de juramento solene na cultura grega, bem como no Antigo Testamento e na literatura judaica posterior. Aqui João faz alusão a Daniel 12:7, onde um anjo ergueu as mãos para o céu e jurou por aquele que vive para sempre que faltariam apenas três anos e meio para o fim; aqui, este anjo jura que chegou a hora e não há mais demora. (Alguns textos apocalípticos falam do próprio tempo contável terminando, mas o ponto aqui parece ser “tempo antes do fim”, dado Dan 12:7; cf. Ap 2:21; 6:11; 20:3; Hab 2:3)

 

10:7. Todas as promessas do Antigo Testamento, tanto de julgamento quanto de restauração, chegaram ao auge no dia do Senhor.

 

10:8-11

Uma mensagem amarga para as nações

Este relato é baseado em Ezequiel 2:8–3:3, onde uma mão é estendida a Ezequiel contendo um rolo, escrito em ambos os lados (cf. Ap 5:1) com uma mensagem de três tipos de julgamento. Ezequiel comeu o rolo, que tinha um gosto doce para sua boca, mas era uma mensagem de julgamento para Israel.

 

10:8-10. Esses versículos são baseados em Ezequiel 2:8–3:3; outro escritor apocalíptico contemporâneo (4 Esdras) se baseou mais livremente na mesma imagem. O pecado tinha gosto doce como mel, mas era veneno porque levava ao julgamento (Pv 5:3-4; cf. Nm 5:23-31); mas a doçura aqui é a palavra do Senhor (cf. Pv 24, 13-14; rabinos), e a amargura é a amargura do julgamento que João deve proclamar. Sobre um anjo falando com o visionário, veja o comentário em Apocalipse 7:13-14.

 

10:11. A mensagem de Ezequiel do livro (ver comentário em 10:8-10) era para Israel, mas João profetiza para muitas nações (como Jeremias; Jr 1:10). A Sibila Judaica nos Oráculos Sibilinos concebia sua tarefa como profetizar a respeito de todas as nações (cf. Ap 11:2), mas isso era padrão com muitos profetas do Antigo Testamento, que proferiam oráculos contra as nações, dos quais os de João estão muito mais próximos (Is 13 –23; Jer 46–51; Ez 25–32; Amós 1–2).




Índice: Apocalipse 1 Apocalipse 2 Apocalipse 3 Apocalipse 4 Apocalipse 5 Apocalipse 6 Apocalipse 7 Apocalipse 8 Apocalipse 9 Apocalipse 10 Apocalipse 11 Apocalipse 12 Apocalipse 13 Apocalipse 14 Apocalipse 15 Apocalipse 16 Apocalipse 17 Apocalipse 18 Apocalipse 19 Apocalipse 20 Apocalipse 21 Apocalipse 22

Nenhum comentário:

Postar um comentário