2019/08/22

Interpretação de 2 Reis 24

Interpretação de 2 Reis 24

Interpretação de 2 Reis 24



2 Reis 24


24:1. Subiu Nabucodonosor em 604 A.C., convocando os reis da terra de Hattu (Palestina-Síria) a lhe pagarem tributo (veja Wiseman, op. cit., pág. 28; BASOR, 143, págs. 24, 25). O nome deveria ser escrito Nabucodonosor. Jeoaquim .. . E ele, por três anos, ficou seu servo. Isto é, até 601, quando se rebelou, submetendo-se ao partido pró-Egito, mas obedecendo e pagando o tributo quando Nabucodonosor entrou na terra no mesmo ano.
2. Enviou o Senhor . . . bandos. Bandos de árabes e outros, que expressaram seu ódio contra Nabucodonosor em Jeoaquim, para destruir Judá, isto é, para contribuir para a sua queda (cons. 20:17; 23:27; Wiseman, op. cit., pág. 32).
3, 4. Esses bandos agiram por mandado do Senhor . . . por causa de todos os pecados cometidos por Manassés (20:17) e por causa do sangue inocente que ele derramou (21:16).
5. Quanto aos mais atos. Cons. II Cr. 36:8a. Veja Introdução, Fontes. Cons. Jr. 22:19 quanto ao seu ignominioso fim.
7. O rei do Egito nunca mais saiu da sua terra. Nabucodonosor controlava agora as antigas possessões do Egito na Palestina e Síria, até o Wadi Arish, o Ribeiro que limitava o Egito.

3) Reinado e Cativeiro de Joaquim. 24:8-16.
8. Tinha Joaquim dezoito anos de idade . . . e reinou três meses (e dez dias; cons. II Cr. 36:9a). Veja 18:1-3. Nenhuma co-regência está envolvida (veja Thiele, Mysterious Numbers, pág. 154).
10. Naquele tempo. Cons. II Cr. 36:10, “na primavera do ano”, isto é, em Tishri (Set, . Out. Veja BASOR, 143, págs. 24, 25). Subiram os servos de Nabucodonosor. Ele convocou o seu exército em Kislev (Dez.), 598 A.C., depois da morte de Jeoaquim. E tomou Jerusalém em 15/16 de março de 597 A.C. (Wiseman, op. cit., pág. 33), quando Joaquim já era rei.
12. Então subiu Joaquim. Ele esperava manter seu reinado mediante a rendição. E o rei . . . o levou cativo para deportá-lo, pois estava demasiadamente contaminado pela influência egípcia para que fosse um bom vassalo. Oitavo ano do seu reinado. Nisã, dia 10 (22 de abril), 597 A.C. (Thiele, op. cit., pág. 163).
15. Transferiu também a Joaquim para a Babilônia. Cartões de racionamento da Babilônia para Joaquim e seus cinco filhos foram encontrados (veja BA, Dez., 1942, págs. 49-55).
16. Todos os homens valentes . . . destros na guerra. Características específicas daqueles relacionados no versículo 14.

4) Reinado de Zedequias. 24:17-20.
17. Estabeleceu rei . . . Matanias. Um tio de Joaquim (cons. Jr. 22:30). Mateus registra a linhagem legal através de Jeoaquim; Lucas traça a sua verdadeira linhagem através de Natã e Maria. A predição de Jeremias foi cumprida. Contudo, Joaquim ainda era considerado rei de Judá (II Reis 25:27). Zedequias. Um terceiro filho de Josias, tio de Joaquim, irmão de Jeoacaz (23:31). Observe que Jr. 52:1-34 (com exceção de II Reis 25:22-26) e II Reis 24:18 - 25: 30 (com exceção de Jr. 52:28-30) revelam a mesma fonte.
19. Fez de o que era mau. Ele transgrediu a aliança.
20. Por causa da ira do Senhor. Os pecados de Judá alcançaram o clímax sob o reinado de Zedequias e provocaram sua queda sob um juízo previamente pronunciado (20:17; 23:27).


Índice: 2 Reis 1 2 Reis 2 2 Reis 3 2 Reis 4 2 Reis 5 2 Reis 6 2 Reis 7 2 Reis 8 2 Reis 9 2 Reis 10 2 Reis 11 2 Reis 12 2 Reis 13 2 Reis 14 2 Reis 15 2 Reis 16 2 Reis 17 2 Reis 18 2 Reis 19 2 Reis 20 2 Reis 21 2 Reis 22 2 Reis 23 2 Reis 24 2 Reis 25

Nenhum comentário:

Postar um comentário