2017/02/01

Interpretação de 1 Samuel 1

Interpretação de 1 Samuel 1

Interpretação de 1 Samuel 1




1 Samuel 1


I. A Vida e Ministério de Samuel. 1:1 - 7:17.

A. O Nascimento e a Infância de Samuel. 1:1 - 4:1a.
1 Samuel 1
1:1. Um homem de Ramataim-Zofim. A LXX diz: um homem de Arimatéia (cons. Mt. 27:57), um zufita. Ramataim, Elevação Dupla, é a forma dupla de Ramá, “elevação”. De acordo com este livro, Ramá foi o lugar do nascimento (1:19), residência (7:17) e sepultamento (25:1) do profeta Samuel. Costuma ser identificado com Beit Rima, uma aldeia na orla ocidental dos planaltos centrais da Palestina, 19,3kms a noroeste de Betel e 19,3 kms a oeste de Silo. Zufe era um antepassado de Elcana (v. 1) e Ramá, o lar de Samuel (1:19), ficava na terra de Zufe (9: 5). Portanto, Ramá pode ser o nome abreviado de Ramataim-Zofim. Um efraimita. Elcana (e portanto Samuel) era um levita (veja I Cr. 6:33) morando em território efraimita. Isto não era coisa fora do comum, uma vez que os levitas não tinham território tribal mas habitavam entre as tribos em cidades específicas.
2. Duas mulheres. A poligamia, em desacordo com o ideal para o casamento (Gn. 2:24), foi praticada por Abrão, Jacó, Gideão, Davi e Salomão. Este casamento bígamo (provavelmente de acordo com Dt. 21:15-17), foi sem dúvida causado por causa de um primeiro casamento sem filhos. Nenhuma acusação moral está sendo feita aos casamentos de Elcana. Ana, ou Graça, também era o nome da profetiza Ana (Lc. 2:36) e a mãe da Virgem Maria (de acordo com uma tradição), e da irmã da Rainha Dido de Cartago, sobrinha da Rainha Jezabel. Penina, “Coral” ou “Pérola”, pode ser comparado à Margarida, que significa “pérola”.
3. Senhor dos Exércitos. Um título para Deus, o líder dos exércitos da terra de Israel (Êx. 7:4; Sl. 44:9), e o comandante dos exércitos celestiais, tanto dos a) corpos celestiais, tais como o sol, a lua e as estrelas, como dos b) seres celestiais. Este título aplicado ao nome divino de Jeová, aparecendo pela primeira vez no V.T. em Samuel, proclama Sua soberania universal. Em Silo. Silo continuava sendo o centro religioso da nação até depois da perda da arca da aliança na desastrosa batalha de Ebenézer. Nobe então substituiu Silo como centro religioso. Jeremias destaca a desolação de Silo como testemunha constante do juízo divino: “Ide agora ao meu lugar, que estava em Silo, no princípio, fiz habitar o meu nome, e vede o que lhe fiz, por causa da maldade do meu povo de Israel” (Jr. 7:12, 14). Os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias. Os dois nomes são egípcios. Hofni, significa girino, e Finéias - o negro.
4. Oferecia. Seu sacrifício foi uma oferta de gratidão, pois os adoradores só participavam das ofertas de gratidão (Lv. 7:11-18). Parte do animal era oferecido em sacrifício a Deus, e o restante era consumido pelos adoradores em um despretensioso culto de comunhão.
5. A Ana, porém, dava porção dupla. Muitos comentários acusam Elcana de favoritismo para com Ana. Esta falsa interpretação surgiu na tradução da Bíblia de Genebra de 1560, que diz: uma porção digna, com base na tradução do Targum da difícil palavra hebraica ‘apayim (“de duas faces”?) para excelente. A LXX diz ‘epes-ki, “mas”, dando a entender que Elcana dava a Ana apenas uma porção, embora a amasse. O favoritismo de Elcana consistia não em sua discriminação na mesa da refeição, mas em amar Ana mais do que amava Penina.
6. A sua rival a provocava. Ka'as, a palavra traduzida para “provocar”, indica o sentimento despertado por causa de tratamento não merecido. Usa-se em relação ao sentimento divino de triunfo sobre os inimigos de Israel (Dt. 32:27). Para a irritar. Literalmente, para fazê-la trovejar. A palavra ra'am significa provocar intimamente, perturbar, despertar comoção íntima. Mais tarde, a Versão Siríaca traduziu esta palavra para “lamento, queixa, murmuração”.
8. Melhor do que dez filhos. Dez é um número redondo usado para expressar um grande número. “Não te sou melhor que uma grande família?” é o significado.
9. Eli, o sacerdote pertencia à família de Itamar, o quarto filho de Arão. A obrigação dos membros desta família era cuidar da propriedade material do Tabernáculo. Exatamente quando o sumo sacerdócio passou para a família de Eli não se sabe. Alguns mestres acham que o templo de Silo era uma tentativa fracassada da família de Itamar de usurpar o controle do sumo sacerdócio. Outros acham que a linhagem do sumo sacerdócio de Eleazar ficou decadente ou talvez até se extinguisse e por isso este ofício foi transferido para a seção mais promissora da família. Templo do Senhor. Literalmente, palácio do Senhor. Hekal é uma palavra emprestada do sumeriano É-gal, “casa grande”. Originalmente era usada para indicar o palácio do rei, enquanto que mais tarde foi usada significando o templo da divindade. O Tabernáculo era chamado de “palácio de Jeová”, não por causa da magnificência e esplendor do edifício, mas por ser o lugar da habitação de Jeová dos Exércitos, o Deus-Rei de Israel (cons. Sl. 5:7).
10. Amargura de alma. Eliseu usa a expressão, “a sua alma está em amargura”, descrevendo a seu servo Geazi o desespero da rica mulher sunamita diante da morte do seu jovem filho (II Reis 4:27). A frase usada com referência a Ana transmite a idéia de amargura mental, profundo desapontamento.
11. E fez um voto. Seu voto foi duplo: a) serviço de levita para toda a vida; b) voto de nazireu para toda vida. Nenhuma dessas posições era necessariamente permanente entre os hebreus. Um levita servia até a idade de cinqüenta anos; o voto de nazireu era tomado por período de tempo específico (veja Nm. 6:2 e segs. com referência à Lei dos nazireus). Sansão, Samuel e João Batista foram dedicados a um nazireado perpétuo desde o nascimento.
13. Seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma. Oração silenciosa não era característica dos antigos hebreus. A oração fora do comum de Ana levou Eli a pensar que estivesse embriagada.
16. Filha de Belial. Belial foi usado em literatura pós-bíblica como substituto para Satanás. Aqui significa “mulher indigna”.
17. O Deus de Israel te conceda a petição. Comentadores judeus oferecem uma alternativa de tradução que faz Eli predizer que Deus daria a Ana um filho. O texto hebraico implica em desejo piedoso, não em predição profética.
18. A mulher se foi seu caminho. A LXII diz: voltou ao seu alojamento e comeu. Ambas as traduções, a E.R.A. e a LXX, dão a entender que Ana interrompeu sua rejeição para orar pedindo um filho.
19. Levantaram-se de madrugada, e adoraram. Este costume de se levantarem cedo para orar é comprovado pelos essênios de Qumran. Lembrando-se dela o Senhor. A sugestão aqui é que a ação direta do Senhor foi necessária para a concepção. A partir desta idéia só há um passo para a crença que uma grande família era recompensa da virtude e que a esterilidade era sinal de conduta pecaminosa.
20. Passado o devido tempo. Explicado por Kimchi (falecido em 1235), o comentador judeu, como “no fim do período da gestação”. É melhor entender como “ao começar do novo ano”, isto é, na próxima peregrinação anual de Elcana. Samuel. Uns fazem este nome derivar de shemu'a-'el, “ouvido de Deus”; outros, de shemu-'el, “seu nome é poderoso”. No entanto, a derivação de “o nome de Deus”, conforme apresentado por Gesenius, é a explicação preferida. Duas outras pessoas do V.T. têm o nome de Samuel (Nm. 34:20; 1 Cr. 7:2).
21. A cumprir o seu voto. Talvez Elcana se unisse a Ana na apresentação dos votos diante do Senhor. A LXX traduz votos e acrescenta que nesta ocasião ele pagou “todos os dízimos de sua terra” (cons. Dt. 12 : 26, 27). Segundo Josefo, já se ventilou que o copista hebreu omitiu o que a LXX registrou por causa da improbabilidade de um levita pagar dízimos. Contudo, Josefo descreve Elcana como sendo um levita e de acordo com Nm. 18:26 e segs. e Ne. 10:38, os levitas pagavam dízimos.
22. Quando for o menino desmamado. De acordo com II Mac. 7:27, as mulheres hebréias amamentavam seus filhos até os três anos de idade.
23. Confirme o Senhor a tua palavra. Deus ainda não se revelara a Ana. Talvez as palavras de Eli (v. 17) levaram-no a pensar que Deus tinha falado por meio do nascimento, e assim eles antecipavam alguma palavra subseqüente. A siríaca e a LXX dizem: tua palavra, como expressão de Elcana dizendo que Ana cumpriria o seu voto no devido tempo.
24. Três novilhos. Dois novilhos, de acordo com Ehrlich, eram presentes para Eli, e um foi sacrificado (v. 25). Keil sugere que todos os três foram sacrificados, um pelo voto do menino, um pela oferta queimada anual e um pela oferta anual de graças. A LXX diz: um novilho de três anos.
26. Que aqui esteve contigo. Orava-se a) de pé, como Ana e Abraão (Gn. 18:22); b ) ajoelhando-se, como Salomão (I Reis 8:54) e Daniel (Dn. 6:10); ou c) prostrando-se, como Moisés e Arão (Núm. 16:22) e Jesus (Mt. 26:39).
28. Como devolvido ao Senhor. Devolver é uma palavra inexpressiva para descrever o presente que Ana fazia de Samuel para o serviço do Senhor, no templo de Suo. Aqui a dedicação é completa e irrevogável. 


Índice: 1 Samuel 1 1 Samuel 2 1 Samuel 3 1 Samuel 4 1 Samuel 5 1 Samuel 6 1 Samuel 7 1 Samuel 8 1 Samuel 9 1 Samuel 10 1 Samuel 11 1 Samuel 12 1 Samuel 13 1 Samuel 14 1 Samuel 15 1 Samuel 16 1 Samuel 17 1 Samuel 18 1 Samuel 19 1 Samuel 20 1 Samuel 21 1 Samuel 22 1 Samuel 23 1 Samuel 24 1 Samuel 25 1 Samuel 26 1 Samuel 27 1 Samuel 28 1 Samuel 29 1 Samuel 30 1 Samuel 31

Nenhum comentário:

Postar um comentário