Josué 24 — Explicação das Escrituras

Josué 24 — Explicação de Josué

Josué 24 — Explicação de Josué



Josué 24
24.2 Vossos pais... serviram... deuses. Terá, o pai de Abraão, habitava na cidade de Ur dos Caldeus, onde o povo servia a vários deuses. O monumento principal da cidade era dedicado ao deus da lua, o padroeiro da cidade. Também foi reconhecido Sumas, o deus-Sol e Nana (ou Astarte), a: filha do deus da lua, e outros deuses.
24.3 Eu... o fiz percorrer. O Senhor Deus dirigiu a história de Israel desde o início. Foi pela graça e providência de Deus que Abraão foi tirado do meio dos falsos deuses e mandado para a terra da Palestina. Lhe dei Isaque (cf. Gn 21.1-3). Isaque significa “gargalhada” (cf. Gn 17.17; 18.12-15).
24.4 Dei Jacó e Esaú (cf. Gn 25.24-26). Montanhas de Seir. Deus providenciou esta região para Esaú (Dt 2.5), assim também, Jacó e seus filhos tinham o exclusivo direito à Palestina (cf. 12.7; Gn 14.6; 36.6-8).
24.5 Feri o Egito. Uma referência às pragas, no livro de Josué, uma vez que o Pentateuco estava nas mãos do povo (cf. 23.6).
24.6 Tirando eu... do Egito. Este é um dos principais temas do Antigo Testamento. O fato que Deus tirou o Seu povo do Egito é um dos temas mais importantes que mostra que Deus Jeová é o Salvador de Israel (cf. Êx 12.17; 16.32; Lv 11.45; Nm 24.8; Dt 16.1; Jz 6.8; 1 Sm 8.8; Sl 81.10; Jr 2.6; 11.4; etc.). Viestes ao mar, i.e., ao Mar Vermelho (Êx 14.16-31).
24.7 No deserto por muito tempo. Por 40 anos, cf. Êx 16.35.
24.8 Terra dos amorreus. Ainda que os amorreus fossem um dos sete povos da terra de Canaã, o termo também se estende num sentido genérico, aos cananitas (cf. Gn 48.22; Js 24.15).
24.9 Balaque. “Seco” ou “esgotado”, era o rei moabita que convidou Balaão a amaldiçoar Israel (Nm 22.1-24). Em Js 13.22 é chamado de adivinho, com o sentido daquele que prediz o futuro e o influencia. No Novo Testamento, o seu nome é símbolo de avareza (2 Pe 2.15, Jd 11), e sua doutrina se relacionava com o culto pagão e a fornicação (Ap 2.14).
24.12 Enviei vespões (ou vespas). Deus prometeu enviar tais insetos semelhantes às abelhas para expulsar aos cananeus (Êx 23.28; Dt 7.20). Pode-se entender literalmente ou alegoricamente. Os arqueólogos descobriram que “vespas” eram o símbolo nacional do Egito e os exércitos dessa nação penetraram na terra de Canaã antes que os de Israel.
• N. Hom. 24.14,15 “Responsabilidades do Povo Escolhido”: 1) Temer ao Senhor - i.e., honrar e respeitar Sua vontade em tudo; 2) Servir ao Senhor - i.e., dar-lhe honestamente, com toda a fidelidade, aquilo que Ele quer; 3) Escolher ao Senhor - i.e., dar-lhe o primeiro lugar na vida (cf. Cl 1.18).
24.16 A geração de israelitas que havia conquistado a Terra Prometida, agora aceita uma aliança com o Senhor, semelhante àquela que seus pais se comprometeram a cumprir no Sinai (Êx 24.7-18; 34.27-28). Ainda que o povo tivesse achado ser impossível abandonar a Jeová, seu Deus, por tudo que Ele tinha feito em seu favor, a história de Israel, logo no livro de Juízes, indica que um reconhecimento das fraquezas, e humildade teriam sido mais recomendáveis. A falta de perseverança no caminho do Senhor, em grande parte, se deve ao fato de que os pais deixaram de praticar e ensinar a seus filhos, dentro de seus lares. Isto Josué prometeu fazer (v. 15), sabendo que o culto verdadeiro começa em casa.
24.17 Aos nossos olhos. Os milagres de Deus precisam ser reconhecidos e lembrados. Racionalizar e esquecer os grandes sinais do Senhor sempre tem sido a causa do abandono de Deus.
24.19 Não podereis servir ao Senhor. Este versículo não quer dizer que é impossível servir ao Senhor. Josué está simplesmente advertindo a Israel a não entrar numa aliança com um Deus tão santo e zeloso como é Jeová sem a devida atenção e seriedade. Além disso, Josué quer indicar que os requisitos para servir ao Senhor são definidos e inflexíveis. Sem “deitar fora” os deuses pagãos seria absolutamente impossível servir ao Senhor devidamente.
24.23 Inclinai o coração ao Senhor. Além da decisão de servir ao Senhor (v. 21; cf. a decisão de aceitar a Cristo, Jo 1.12; etc.), uma nova atitude de humildade e sujeição a Ele precisa caracterizar o crente durante toda a sua vida (1 Pe 5.6).
24.25 Siquém. O deus cananita, cultuado em Siquém, era chamado Baal ou Baal-Berith, ”deus da aliança” (Jz 9.4, 46). Talvez fora escolhido para a renovação da Aliança por causa das velhas associações e para que fosse ainda mais fácil lembrar-se dela durante os séculos vindouros. Neste versículo, parece que é Josué que está fazendo a aliança com os israelitas, mas a fato é que está agindo no nome do Senhor, como seu representante (cf. Paulo em 2 Co 5.20).
24.31 O ponto forte de Josué se nota na semelhança de um bom pastor que cuida bem de seu rebanho durante todos os dias de sua liderança. A falha de Josué e dos anciãos parece ter sido não pensar na necessidade de um ou mais líderes para continuar a direção do povo nos caminhos do Senhor como fez Moisés.