Levítico 18 — Explicação das Escrituras

Levítico 18 — Explicação das Escrituras

Levítico 18 — Explicação das Escrituras



Levítico 18

18.1-30 Os padrões de pureza na vida familiar que sempre tinham tomado vulto perante os olhos dos israelitas, a saber, os do Egito e de Canaã, eram corrompidos; por este motivo, Israel necessitava de um padrão divinamente inspirado, por ser um povo santo, dedicado a Jeová. As leis modernas sobre o casamento, na sua maior parte, sequem as limitações estabelecidas aqui. O casamento entre parentes consangüíneos aumenta a probabilidade de problemas de hereditariedade, especialmente no caso de doenças mentais. A pureza sexual é uma parte integrante da saúde do corpo e da alma.
18.2 Eu sou o Senhor. O Senhor (Jeová) freqüentemente despertava na mente do Seu povo a memória da Sua Soberania e da Sua Majestade, bem como a da Sua Santidade; só nos vv. 2-6, esta expressão ocorre quatro vezes. No Monte Sinai, o povo recebeu uma nítida impressão deste fato.
18.6 É verdade que nos primeiros dias da raça humana, irmão se casava com irmã, desde que não havia mais ninguém com quem se casar. Com firme estabelecimento da raça humana, Deus proibiu casamentos entre parentes consangüíneos. Por exemplo, um homem não devia se casar com sua irmã, nem com sua tia, ou com sua nora.
18.8 Mulher de teu pai. Quer dizer, qualquer esposa de seu pai.
18.9 Filha de teu pai. Esta parte do versículo se refere à irmã só por parte do pai; o resto se refere ou à irmã propriamente dita, ou à meia irmã do lado materna.
18.21 Moloque. Heb mõlekh, que é palavra melekh “rei” com as vogais da palavra bõsheth “vergonha”. O nome Baal quer dizer “senhor”; “rei” era apenas outro nome que os idólatras davam aos baalins; para os israelitas, portanto, os ídolos de Baal, longe de ser imagens de reis, eram apenas coisas de vergonha, tentando o povo a dois pecados graves: a adoração de falsos deuses em lugar do próprio Deus, e a empregar liturgias pagãs para adorar Jeová. Ambos estes pecados eram uma abominação perante Deus. O nome especifico usado aqui se refere a uma imagem oca, com braços estendidos, e com um incinerador na parte vazia, destinado a receber crianças em sacrifício queimado. 18.24-30 Estes versículos lançam luz sobre o motivo da destruição das nações de Canaã por mandato divino. As abominações da imoralidade das nações pagãs tinham chegado a um tal extremo que, afinal, a “medida da iniqüidade dos amorreus” se encheu, Gn 15.16. Por isso, Deus advertiu a Israel que tivesse cuidado e não fizesse como os cananeus. Como Israel era o povo escolhido de Jeová, esperava-se mais deles do que de qualquer outra nação; Dt 9.25-29.
18.28 Vomite... vomitou. Deus fala, nas Escrituras, de tratar assim a três grupos de pessoas: 1) Os cananeus pagãos, 28; “E, por haverem desprezado o conhecimento de Céus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas , inconvenientes”, Rm 1.28; 2) Os israelitas idólatras, 28; 20.22; Jr 25.27; 3) Os cristãos apóstatas, Ap 3.16. Tudo isto é uma ótima admoestação a todos nós no dia de hoje.

Índice: Levítico 1 Levítico 2 Levítico 3 Levítico 4 Levítico 5 Levítico 6 Levítico 7 Levítico 8 Levítico 9 Levítico 10 Levítico 11 Levítico 12 Levítico 13 Levítico 14 Levítico 15 Levítico 16 Levítico 17 Levítico 18 Levítico 19 Levítico 20 Levítico 21 Levítico 22 Levítico 23 Levítico 24 Levítico 25 Levítico 26 Levítico 27