Levítico 4 — Explicação das Escrituras

Levítico 4 — Explicação das Escrituras

Levítico 4 — Explicação das Escrituras



Levítico 4

4.1-35 Oferta pelo pecado. Este tipo de sacrifício era necessário para expiar pecados específicos. O grau da culpa e a qualidade da oferta variavam de acordo com a posição e a responsabilidade do pecador. O pecado do sumo sacerdote era o mais grave, porque era ele quem representava a nação inteira. O atual que se requeria era igual, para o sacerdote e para o povo, no tocante ao touro (“novilho”) que se oferecia em ambos os casos, mas havia uma diferença quando se comparava o mesmo com o dos holocaustos, sendo que o sacrifício pelo pecado incluía o ato de pôr uma parte do sangue da oferta diante do véu do santuário; a gordura era queimada no altar, mas o resto era queimado fora do arraial. Isto prefigurava a crucificação de Cristo fora da cidade de Jerusalém (Hb 13.12). A justiça de Deus requeria o castigo pelos pecados. Cristo levou esta culpa sobre Si na cruz. Agora Deus perdoa aqueles que, pela fé, aceitam o sacrifício que Cristo sofreu por eles (Is 53.6, 7; 1 Pe 2.24; Rm 3.25, 26).
4.2 Ignorância. Esta palavra não se refere aos pecados dos insolentes e arrogantes, para os quais nenhuma expiação poderia ser feita. A pena imposta era morte (Nm 15.30, 31; Hb 5.2). O próprio fato de se exigir a expiação pelos pecados da ignorância demonstra que a ignorância não é uma desculpa adequada para a violação das leis de Deus. Ordena-se aos crentes que estudem as Escrituras (2 Tm 2.15), e não se oferece nenhuma desculpa aos que se recusam a se instruir nos mandamentos de Deus. Tal falta é um pecado de omissão que precisa ser confessado, perdoado e abandonado (1 Jo 1.9). 4.3-27 Quatro classes de pecadores são enumeradas neste trecho: 1) Os sacerdotes, 3; 2) A congregação, 13; 3) O príncipe, 22; 4) Os simples indivíduos de entre o povo, 27. • N. Hom. O sangue do novilho era sinal visível de sua morte, assim como o sangue de Cristo representa a Sua morte expiatória, que nos purifica de todo o pecado (1 Jo 1.7) e nos aproxima de Deus (Ef 2.13). O apresentar o sangue perante o santuário mostra que é preciso prestar contas ao próprio Deus por todos os pecados cometidos.
4.17 O dedo no sangue. Notem-se os lugares onde o sangue devia ser aplicado: 1) Nas pontas do altar do incenso, 7; 2) Na base do altar do holocausto, 7; 3) Diante do véu, 17; 4) Nas pontas do altar do holocausto, 30; 5) Ao redor do altar e sobre o altar, 1.5, 11; 3.2; 6) Sobre a parede do altar, 5.9; 7) No santuário, 6.30; 8) Na ponta da orelha direita do sacerdote, 8.23-24; 9) No polegar da mão direita do sacerdote, 8.23-24; 10) No polegar do pé direito do sacerdote, 8.23; 11) Nas casas, 14.51-53; 12) Na ponta da orelha direita das pessoas que queriam se purificar, 14.25-28; 13) Sobre o polegar da mão direita da pessoa que queira se purificar, 14.25, 28; 14) Sobre a polegar do pé direito da pessoa que queira se purificar; 15) Sobre a frente do propiciatório, 16.14-15; 16) Perante o Tabernáculo, Nm 6.8; 17) Sobre o povo, Êx 24.6-8; 18) Sobre o Livro da Aliança, Êx 24.6-8; 19) Sobre os sacerdotes, Êx 29.21; 20) Sobre as vestes dos sacerdotes, Êx 29.21.
4.20 Expiação. Da raiz hebraica kipper, que significa “cobrir”. O pecado, com a sua culpa e o seu castigo, é apagado por um ato especifico: a morte. Mas Deus permitiu a morte substitutiva de um animal, o qual tipificava o sacrifício de Cristo, o único que apaga as conseqüências eternas do pecado.

4.22 Pecar. Ver também 2, 13 e 17. Em contraste comi o holocausto, que não tinha ligações específicas com transgressões individuais, e simbolizava uma aproximação ao Deus santo, dando ao pecador valor diante de Deus, os sacrifícios pelos pecados outorgavam a expiação por pecados específicos, pelos quais esses sacrifícios ofereciam uma “cobertura” perdoando-se assim o pecado. Dois tipos de pecado se definem nestas Leis: 1) Os pecados da ignorância, 5.5-18; Nm 15.22-29, praticados na ignorância, sem saber aquilo que a Lei exigia, ou ainda, praticados acidentalmente, mesmo quando se sabia que eram pecados, Dt 19.4; 2) Os pecados atrevidos, Êx 21.14 Nm 15.30; Dt 1.43, 17.12-13, 18.20-22, Sl 19.13; 2 Pe 2.10. Tais pecados se cometiam deliberada, premeditada e obstinadamente, 24.11-16; Hb 10.26-31. Nota geral: em todos esses sacrifícios, notam-se duas classes: os de “aroma agradável” e os demais. A expressão ”aroma agradável” se aplicava somente aos três primeiros tipos de sacrifício: os holocaustos, cap. 1, as ofertas de manjares, cap. 2, e os sacrifícios pacíficos, cap. 3. Estes três tipos de ofertas voluntárias, prenunciavam a absoluta e bendita perfeição do sacrifício de Cristo, em aroma aceitável a Deus, Ef 5.2. Os demais sacrifícios eram os que se ofereciam pelo pecado e pelo sacrilégio, nos quais Cristo era prefigurado como Aquele que carrega os pecados do mundo; eram ofertas de expiação, que, pela sua própria existência, condenavam o pecado - não que Deus tenha prazer na condenação. As ofertas de aroma agradável eram voluntárias, e as ofertas pelo pecado eram compulsórias. • N Hom. A confissão dos pecados é uma parte essencial de uma vida de retidão, e Deus a exige de todos aqueles que pecaram, 5.5; Os 5.15. Sem confissão dos pecados, precedida pelo arrependimento, apela-se em vão ao sacrifício de sangue. Da mesma maneira, o NT ordena aos homens que confessem seus pecados (Tg 5.16), oferecendo, ao mesmo tempo, a certeza do perdão e purificação, 1 Jo 1.9; Sl 32.5. A verdadeira confissão de pecados inclui, entre outras coisas: 1) A tristeza religiosa por causa do pecado cometido, Sl 38.18; 2) Á humilhação, Jr 3.25; 3) A oração pelo perdão, Sl 51.1; 4) A restituição dos danos causados, Nm 5.6; 5) A humilde aceitação da correção divina aplicada na forma de um castigo, Ed 9.13; Ne 9 33; 6) O abandono daquele pecado, Lc 19.1-10; Lv. 15.11-32.

Índice: Levítico 1 Levítico 2 Levítico 3 Levítico 4 Levítico 5 Levítico 6 Levítico 7 Levítico 8 Levítico 9 Levítico 10 Levítico 11 Levítico 12 Levítico 13 Levítico 14 Levítico 15 Levítico 16 Levítico 17 Levítico 18 Levítico 19 Levítico 20 Levítico 21 Levítico 22 Levítico 23 Levítico 24 Levítico 25 Levítico 26 Levítico 27