2016/05/30

Interpretação de Levítico 21

Interpretação de Levítico 21

Interpretação de Levítico 21



Levítico 21

21:1-9. Instruções aos Sacerdotes em Geral.
1,2. Não se contaminará por causa de um morto. Exibir sinais exteriores de luto e tocar um morto desqualificavam o sacerdote para a execução de suas obrigações sacerdotais. Conseqüentemente, era-lhe negado este privilégio, exceto em caso de sua família imediata.
3. Isto incluía uma irmã virgem, a qual, não sendo casada, não tinha família própria. Não sabemos por que a esposa não foi mencionada aqui, particularmente considerando Ez. 24:15 e segs., onde parece que o profeta pranteou a morte da esposa e o Senhor não o repreendeu na ocasião.
4. O significado deste versículo é obscuro. Homem principal (ba'al) poderia com toda probabilidade ser traduzido para marido (RV marg. e RSV) ou senhor da casa. Assim, por causa de sua posição na família e comunidade, o sacerdote devia tomar o cuidado de não se contaminar, exceto nos casos permitidos acima.
5. Não farão calva na sua cabeça. Eram sinais de luto entre os povos pagãos (cons. 19:27, 28). Ficava proibido ao sacerdote judeu, o qual, ao oferecer o “pão (lehem; também traduzido para “carne” e “alimento” em outras passagens) do seu Deus” não devia se encontrar em condições de impureza cerimonial para que o nome de Deus não fosse profanado (v. 6).
7. Desonrada (Haleila) significa “uma mulher que foi contaminada”, uma mulher imoral. Uma mulher abandonada pelo mando, isto é, uma mulher divorciada, também não era aceitável como esposa de sacerdote.
10-15. Ordens Referentes ao Sumo Sacerdote Especificamente.
10-12. Sobre cuja cabeça foi derramado o óleo da unção. O termo óleo da unçãoshemen hammishha, vem do verbo, meishah, significando “ungir ou consagrar”. O substantivo meishiah é “o ungido”, o Cristo, o Messias. Um homem na posição de sumo sacerdote tinha de manter tal pureza a ponto de evitar a demonstração dos costumeiros sinais de luto por alguém; e ele não devia se afastar do santuário para participar das lamentações, pois isto provocaria a contaminação do santuário do Senhor.
13. Por mulher uma virgem. Só devia desposar uma virgem israelita.
15. Sua descendência (zar'o, “posteridade”) não devia deixar de ser santa contraindo um casamento impróprio, pois ele devia se lembrar do seu status que era o de alguém separado pelo Senhor para um ofício particular.
16. O restante do capítulo refere-se às imperfeições e deficiências que desqualificavam o homem para o exercício das obrigações de um sacerdote. A declaração geral feita em 21:17 está mais detalhada em 21:18 e segs.
18. Rosto mutilado é uma tradução melhor do que nariz chato (E.R.C). Desproporcionado. Qualquer coisa fora do normal.
20. Que tiver belida no olho. Visão defeituosa. Sarna, coceira.
21. Para oferecer o pão do seu Deus. Oferecer um sacrifício a Deus no papel de sacerdote. Alguém com este defeito podia, contudo, participar das porções dos sacrifícios comumente concedidos aos sacerdotes (v. 22). Não devia ter permissão de realizar qualquer função sacerdotal. Estas restrições se baseavam na crença hebraica de que a natureza espiritual do homem se refletia em sua condição física. Só alguém que fosse fisicamente perfeito podia ser considerado suficientemente santo para realizar as funções de uru sacerdote.

Nenhum comentário:

Postar um comentário