2016/05/30

Interpretação de Levítico 27

Interpretação de Levítico 27

Interpretação de Levítico 27




Levítico 27

Os Votos. 27:1-34.
O capítulo pode ser dividido em duas porções principais: votos, 27:1-29 e dízimos. 27:30-33. A primeira consiste de instruções sobre votos relacionados com 1) pessoas, versículos 1-8; 2) gado, versículos 9-13; 3) casas, versículos 14, 15; 4) terra, versículos 16-25; e 5) exceções quanto às instruções precedentes, versículos 26-29. Um voto não era jamais ordenado, mas, uma vez feito, tinha de ser escrupulosamente mantido (Ec. 5:4, 5; Dt. 23:21-23 Nm. 30:2). Se substituição ou redenção (pagamento) fosse necessário, era preciso fazer uru pagamento. E, de acordo com KD (Pentateuch, II, 480), “o cumprimento do voto só podia consistir do pagamento efetuado no santuário de acordo com o preço afixado pela lei”.
2. Voto. Uma tradução livre da passagem seria: “Quando um homem faz um voto especial, as pessoas envolvidas serão reconhecidas por vocês como pertencentes ao Senhor” (Nathaniel Micklem, IB, II,131).
3-7. Da tua avaliação. A avaliação de um indivíduo, ao que parece, baseava-se sobre o seu valor como trabalhador durante uru dado período. O valor do siclo naquele tempo é desconhecido; conseqüentemente nenhuma tentativa se fará para traduzir os valores em moeda moderna. Foram assim estipulados: 1) de vinte e sessenta anos, cinqüenta siclos por homem e trinta por mulher; 2) de cinco a vinte anos, vinte siclos por rapaz e dez por moça; 3) de um mês a cinco anos, cinco siclos por menino e três por menina; 4) mais de sessenta anos, quinze siclos por homem e dez por mulher.
8. Mas, se for mais pobre do que a tua avaliação. No caso da pessoa que fez com que o voto a fizesse ser pobre demais para arranjar a quantia indicada, a fixação do valor devia ser deixado à discrição do sacerdote.
9. Se for animal. Ao que parece um animal não podia ser resgatado por dinheiro.
10. Não o mudará. Ambos, o animal originalmente dedicado e o substituto tinham de ser oferecidos.
14,15. Quando alguém dedicar a sua casa. Uma casa dedicada ao Senhor era avaliada pelo sacerdote. Se não fosse resgatada, ao que parece devia ser vendida em beneficio do santuário. Se o proprietário quisesse resgatá-la, devia acrescentar um quinto ao valor estimado.
16. Se alguém dedicar. . . parte do campo. O valor de um campo pertencente a um homem, por meio de herança, devia ser avaliado pela porção de semente que seria preciso para semeá-lo devidamente. A porção aqui estipulada, ao que parece, era o valor estimado das colheitas de tal campo por todo o período do Jubileu.
17. Desde o ano do jubileu. Se o período do Jubileu já tivesse parcialmente passado na ocasião em que o campo fosse dedicado, a avaliação deveria ser modificada de acordo com o tempo ainda restante.
19. Acrescentará a quinta parte. Depois de pagar a quantia fixada, ao que parece podia continuar de posse do campo, mas não teria o direito de vendê-lo. Podia resgatá-lo acrescentando um quinto à avaliação.
20,21. Nunca mais se resgatará. Se não fosse resgatado por ele antes do Ano do Jubileu, o campo passaria a ser propriedade do sacerdote e seria vendido por ele.
22,23. O campo que comprou. Se o campo fosse da pessoa não por herança mas por compra, e fosse dedicado ao Senhor, teria de ser pago todo ele ao mesmo tempo, no mesmo dia, o valor estipulado pelo sacerdote.
24. O campo tornará. De acordo com este versículo e com 25:23-28 a terra retornaria ao seu proprietário hereditário por ocasião do Ano do Jubileu.
26. O primogênito de um animal. Os primogênitos do gado limpo e das ovelhas pertenciam ao Senhor por lei e não podiam ser resgatados.
27. Se for de um animal imundo. O primogênito de um animal imundo dedicado ao Senhor era avaliado pelo sacerdote e podia ser resgatado acrescentando-lhe um quinto do valor fixado.
28. Nada . . . que alguém dedicar irremissivelmente. Coisas que eram dedicadas irremissivelmente (herem, sob interdito, separado totalmente para uso do Senhor) não podiam ser resgatadas. Isto diferia da dedicação comum. Um item colocado sob tal dedicação irremissível, em face de voto feito ao Senhor, devia ser considerado santíssimo, literalmente, santidade das santidades. Era entregar algo a Deus de maneira irrevogável e irresgatável.
29. Ninguém que . . . for dedicado irremissivelmente . . . se poderá resgatar. Em certos casos pessoas podiam ser colocadas sob tal interdito, e tais pessoas tinham de ser condenadas à morte. Não nos parece que esta “dedicação” fosse feita ao bel-prazer de meros agentes humanos. Mais provavelmente era feito oficialmente e usado contra “aquelas pessoas que obviamente resistiam à santificação de vida que os ligava” (KD, Pentateuch, II, 485).
30. Também todas as dízimas da terra. Os dízimos pertenciam ao Senhor e estavam sujeitos às mesmas regras de resgate dos animais limpos que eram dedicados (vs. 9, 10).
32. Tudo o que passar debaixo da vara refere-se ao costume de contar animais fazendo-os passar em fila de um ao saírem de um cercado e marcando cada décimo animal com uma vara mergulhada em material colorido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário