Levítico 26 — Comentário Devocional

Levítico 26 — Comentário Devocional

Levítico 26 — Comentário Devocional



Levítico 26


26.1ss - Este capítulo apresenta os dois caminhos, o da obediência e o da desobediência, que Deus colocou diante do povo (ver também Dt 28). Por diversas vezes, o povo do AT fora avisado contra a adoração aos ídolos, e nos perguntamos como eles podiam enganar-se a si mesmos com estes objetos de madeira e pedra. No entanto, Deus poderia nos dar o mesmo aviso, visto que somos propensos a pôr ídolos á frente dEle. A idolatria tem tornado qualquer coisa mais importante do que Deus, e nossas vidas estão cheias desta tentação. Dinheiro, fama, sucesso, reputação, segurança — estes são os ídolos de hoje. Ao olhar para estes falsos ídolos que prometem tudo o que você deseja e nada do que precisa, a idolatria parece totalmente removida de sua experiência?
26.13 - Imagine a alegria de um escravo liberto. Deus tirou os filhos de Israel da escravidão amarga e deu-lhes liberdade e dignidade. Nós também fomos libertos quando aceitamos o pagamento de Cristo pela remissão do nosso pecado. Podemos caminhar com dignidade, sem nos envergonharmos dos erros passados, pois Deus os perdoou e esqueceu. Porém, da mesma forma que os israelitas corriam perigo de retornar à mentalidade escrava, precisamos estar atentos à tentação de retornar aos antigos padrões pecaminosos.
26.18 - Se os israelitas obedecessem, haveria paz na terra. Do contrário, o desastre se seguiria. Deus usou as consequências do pecado para conduzi-los ao arrependimento, não para eles voltarem a pecar. Hoje, nem sempre as consequências do pecado são tão aparentes. As calamidades podem resultar de nossa própria desobediência, do pecado de outra pessoa ou de um desastre natural. Porque nem sempre sabemos o motivo, devemos examinar o nosso coração e ter certeza de que estamos em paz com Deus. Seu Espirito revelará as áreas com que precisamos lidar. Uma vez que a calamidade nem sempre é resultado de atitudes erradas, devemos nos guardar de assumir ou aceitar a culpa por cada tragédia que enfrentamos. A culpa indevida é uma das armas favoritas de Satanás contra os crentes.
26.33-35 - Em 2 Reis 17 e 25, o aviso pronunciado nestes versículos se realizou. Ao persistir em desobedecer, o povo acabou sendo conquistado e levado para as terras da Assíria e Babilônia. A nação ficou cativa durante 70 anos, compensando o tempo durante o qual os israelitas não observaram a lei do Ano Sabático (2Cr 36.21).
26.40-45 - Estes versículos mostram o que significam as palavras “tardio em irar-se e grande em beneficência” (Êx 34.6). Ainda que os israelitas escolhessem desobedecer e fossem dispersos entre seus inimigos, Deus lhes daria oportunidade para se arrependerem e voltarem para Ele. Seu propósito não era destruí-los, mas ajudá-los a crescer. Nossas experiências e tribulações diárias são muitas vezes desoladoras e, a menos que vejamos que o propósito de Deus é fazer-nos crescer continuamente, elas podem nos levar ao desespero. A esperança que precisamos está bem nítida em Jeremias 29.11,12: “Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Então, me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei”. Manter a esperança enquanto sofremos mostra que compreendemos o modo misericordioso de Deus se relacionar com seu povo.

Índice: Levítico 1 Levítico 2 Levítico 3 Levítico 4 Levítico 5 Levítico 6 Levítico 7 Levítico 8 Levítico 9 Levítico 10 Levítico 11 Levítico 12 Levítico 13 Levítico 14 Levítico 15 Levítico 16 Levítico 17 Levítico 18 Levítico 19 Levítico 20 Levítico 21 Levítico 22 Levítico 23 Levítico 24 Levítico 25 Levítico 26 Levítico 27