2019/09/01

Levítico 17 — Comentário Devocional

Levítico 17 — Comentário Devocional

Levítico 17 — Comentário Devocional



Levítico 17


17.1ss - Os caps. 17 —26 algumas vezes são chamados de “código de santidade”, porque focalizam o que significa viver uma vida santa. O versículo central é 19.2: “Santos sereis, porque eu, o SENHOR, vosso Deus, sou santo”.
17.3-9 - Por que os israelitas foram proibidos de sacrificar fora da área do Tabernáculo? Deus estabeleceu tempos e locais específicos para os sacrifícios, e cada ocasião era permeada de simbolismo. Se o povo sacrificasse por si mesmo, poderia facilmente acrescentar algo às leis de Deus, ou delas subtrair, a fim de ajustá-las ao seu próprio estilo de vida. Muitas religiões pagãs permitiam que os sacerdotes estabelecessem individualmente suas próprias regras, mas o mandamento de Deus ajudava os israelitas a resistirem à tentação de seguir o modelo idólatra. A Bíblia nos mostra que os israelitas caíam na idolatria porque cada qual fazia “o que parecia direito aos seus olhos” (Jz 17.6).
17.7 - Os “demônios” eram objetos de adoração e sacrifício nos tempos antigos, particularmente no Egito, de onde o povo israelita recentemente saíra. Deus não queria que seu povo realizasse este tipo de sacrifício no deserto ou na Terra Prometida, local para onde estavam sendo guiados.
17.11-14 - De que forma o sangue expiava o pecado? Quando oferecidos com a atitude correta, o sacrifício e o sangue derramado tornavam possível o perdão dos pecados. Por um lado, o sangue representava a vida do pecador infectada pelo pecado e condenada à morte. Por outro, o sangue representava a vida inocente do animal sacrificado no lugar da pessoa culpada que fazia a oferta. A morte do animal (da qual o sangue era evidência) cumpria a pena de morte, e assim Deus garantia o perdão para o pecador. O perdão vinha de Deus, baseado na fé da pessoa que oferecia o sacrifício.
17.14 - Por que era proibido comer ou beber o sangue? Esta proibição pode ser traçada desde os tempos de Noé (Gn 9.4), e eram vários seus motivos: (1) Desencorajar as práticas pagãs - Israel precisava ser separado e distinto das nações estrangeiras ao redor. Comer o sangue era uma prática pagã comum e costumava ser feito na esperança de a pessoa receber as características do animal morto (força, velocidade, etc.). (2) Preservar o simbolismo do sacrifício - o sangue simbolizava a vida do animal que era sacrificada no lugar do pecador. Bebê-lo mudaria o simbolismo da pena sacrificial e também destruiria a evidência do sacrifício. (3) Proteger o povo de infecções, porque muitas doenças mortais eram transmitidas através do sangue. Os judeus levavam esta proibição a sério, e este foi o motivo pelo qual os discípulos de Jesus ficaram tão perturbados ao ouvirem Jesus ordenar que bebessem o seu sangue (Jo 6.53-56). No entanto, Jesus, sendo o próprio Deus e sacrifício final pelos nossos pecados, estava pedindo aos crentes que se identificassem com Ele totalmente. Ele deseja viver em nós e participar de nossas vidas.

Índice: Levítico 1 Levítico 2 Levítico 3 Levítico 4 Levítico 5 Levítico 6 Levítico 7 Levítico 8 Levítico 9 Levítico 10 Levítico 11 Levítico 12 Levítico 13 Levítico 14 Levítico 15 Levítico 16 Levítico 17 Levítico 18 Levítico 19 Levítico 20 Levítico 21 Levítico 22 Levítico 23 Levítico 24 Levítico 25 Levítico 26 Levítico 27

Nenhum comentário:

Postar um comentário