2017/11/29

Atos 20 — Comentário Devocional

20.1-3 - Enquanto estava na Grécia. Paulo passou muito tempo em Corinto. Lá escreveu a carta aos Romanos. Embora Paulo ainda não tivesse ido a Roma, os crentes já haviam fundado uma igreja ali (2.10; 18.2). Paulo escreveu para dizer aos cristãos em Roma que ele planejava visitá-los. A carta aos Roma nos é um ensaio teológico sobre o significado da fé e da salvação; uma explicação do relacionamento entre Deus, os judeus e os cristãos gentios; uma relação de diretrizes práticas para a Igreja.

20.4 - Esses homens que viajavam com Paulo representavam as igrejas que Paulo havia fundado na Ásia. Cada um levava uma oferta de sua igreja para ser doada aos cristãos de Jerusalém. Pelo fato de a oferta ter sido levada pelos representantes de cada igreja, elas tinham um toque pessoal. Isso fortaleceu o relacionamento entre os irmãos e promoveu a unificação do corpo de Cristo. Também foi uma oportunidade para ensinar aos cristãos como é importante a atitude de ofertar, porque os representantes das igrejas relatariam ás suas congregações o modo como Deus usou as ofertas. Paulo mencionou essa oferta em sua segunda carta aos Coríntios (2 Co 8.1-21).

20.5-6 - O uso do pronome “nos” demonstra que Lucas se juntou novamente ao grupo de Paulo.

20.6 - Os cristãos judeus celebraram a Páscoa (seguida pela Festa dos Pães Asmos) de acordo com as instruções de Moisés (Êx 12.43-51), mesmo não podendo estar em Jerusalém nesta ocasião.

20.8, 9 - Essas luzes eram velas em lanternas. A combinação entre o calor das velas e o número de pessoas agrupadas no andar superior (cenáculo) provavelmente tornou o ambiente muito quente. Além disso, o fato de Paulo ter falado por muito tempo deve ter contribuído para o jovem adormecer. Êutico tinha provavelmente entre 8 e 14 anos de idade.

20.16 - Paulo não pôde comemorar a Páscoa em Jerusalém, mas estava especialmente interessado em chegar naquela cidade a tempo para o Pentecostes, festa celebrada 50 dias após a Páscoa. Paulo levava consigo doações das igrejas da Ásia e da Grécia para os cristãos de Jerusalém (Rm 15.25,26; 1 Co 16.1ss; 2 Co 8,9). A Igreja em Jerusalém estava passando por tempos difíceis. Paulo devia estar ansioso para entregar as ofertas no Pentecostes porque este era um dia de celebração e de ações de graça a Deus por sua provisão.

20.18-21 - O caminho do cristão não é fácil; ser um cristão não significa ausência de problemas ou ter todos os problemas solucionados. Paulo serviu a Deus humildemente e “com muitas lágrimas”, mas nunca parou nem desistiu. A mensagem da salvação era tão importante que ele nunca perdeu uma oportunidade de compartilha-Ia. Embora tenha pregado o evangelho de variadas maneiras para os diferentes Tipos de público, o conteúdo da mensagem permaneceu sempre o mesmo: afaste-se do pecado e aproxime-se de Cristo pela fé. A vida crista enfrenta tempos difíceis, há sofrimento e choro, bem como alegria, mas devemos estar sempre prontos para contar aos outros as coisas boas que Deus fez por nos! Suas bênçãos excedem em muito as dificuldades da vida.

20.23 - O Espírito Santo mostrou a Paulo que ele seria preso e experimentaria o sofrimento. Mesmo sabendo disso. Paulo não desistiu de cumprir sua missão. Seu forte caráter foi um bom exemplo para os presbíteros efésios, alguns dos quais também sofreriam por Cristo.

20.24 - Frequentemente, sentimos que a vida e um fracasso, a menos que estejamos alcançando o reconhecimento, a diversão, o dinheiro e o sucesso. Mas Paulo considerava que sua vida não teria valor se ele não a usasse para a obra de Deus. O que ele acrescentou à vida era muito mais importante do que aquilo que ele havia ganho dela. O que é mais importante para você: o que ganha da vida ou o que você acrescenta a ela?

20.24 - Disposição é uma qualidade necessária a qualquer pessoa que deseje fazer a obra de Deus. Paulo era uma pessoa disposta, e a meta mais importante de sua vida era falar aos outros a respeito de Cristo (Fp 3.7-13). Não é de admirar que Paulo tenha sido o maior missionário cristão. Deus procura outros homens e outras mulheres que priorizem a grande tarefa que Ele lhes deu para fazer.

20.31,36-38 - O relacionamento de Paulo com esses irmãos em Cristo é um belo exemplo da comunhão cristã. O apóstolo se importava com eles. amava-os, e confessou chorar em virtude das necessidades deles. Os cristãos responderam com carinho e preocupação por Paulo; estavam tristes por sua partida. Oraram juntos e confortaram-se mutuamente. Como Paulo, você pode construir fortes relacionamentos com outros cristãos compartilhando atenção, sofrimentos, alegrias e orações. Você reunira pessoas ao seu redor quando se dedicar a elas.

20.33 - Paulo estava satisfeito com o que tinha e onde quer que estivesse, desde que pudesse fazer a obra de Deus. Examine suas atitudes em relação a riqueza e ao conforto. Se o seu foco estiver mais naquilo que você não tem, em vez de estar naquilo que você tem, é hora de reexaminar suas prioridades e de colocar a obra de Deus novamente em primeiro lugar.

20.34 - Paulo era um fabricante de tendas e ganhava seu sus tento com este ofício. Ele não trabalhava para enriquecer, mas para não depender de ninguém. Paulo sustentava tanto a si como aqueles que viajavam com ele (ver Fp 4.11 -13: 1 Ts 2.9).

20.35 - Essas palavras de Jesus não estão registradas nos Evangelhos. Obviamente, nem tudo que Jesus disse e fez foi relatado (Jo 21.25); talvez essas palavras tenham sido transmiti das verbalmente pelos apóstolos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário