2016/11/10

Deuteronômio 3 — Estudo Devocional

Deuteronômio 3 — Estudo Devocional

Deuteronômio 3 — Estudo Devocional



Deuteronômio 3 

Os israelitas derrotam o rei Ogue
Números 21.33-35

3.1-22 Não tenha medo. O discurso de Moisés, contando os feitos de Deus, objetivava fortalecer o povo para enfrentar as batalhas da conquista de Canaã. Por isso, a ênfase do discurso foi sempre colocada na ação divina: a vitória sobre Seom, a derrota do exército do gigante refaim Ogue, rei de Basã, e a conquista das suas cidades protegidas por muralhas. vocês tomaram posse delas. À medida que os israelitas conquistavam os territórios, apossavam-se deles, exatamente como iria acontecer em Canaã.

As tribos israelitas a leste do Jordão
Números 32.1-42
3.18-20 atravessem… na frente. Veja como o que a princípio seria um problema (o desejo das duas tribos e meia de permanecer a leste do Jordão), acaba sendo um bom auxílio (veja as notas para esta mesma narrativa em Nm 32). Com a condução de Deus, Moisés agiu com serenidade e firmeza, estabelecendo condições e deveres especiais para as tribos de Rúben, Gade e metade de Manassés. Estas formaram um exército com soldados livres de preocupações com familiares e suas posses, sempre pronto para a guerra, que seria o primeiro a atacar os cananeus.

Deus não deixará Moisés entrar em Canaã
3.23-29 Peço-te… que me deixes atravessar o rio. Com uma humilde súplica, Moisés pediu para ver a Terra Prometida. não atendeu o meu pedido. Mas o seu pedido é negado por Deus; depois de tantas vezes que Ele o atendera em suas súplicas pelo povo! Moisés não poderá sentir o gozo de entrar em Canaã, mas ele se submete à vontade de Deus. Deus nem sempre atende os nossos pedidos. Ele, sabendo de todas as coisas e por amor a toda a sua criação, decide conceder ou não o que pedimos, conforme sua vontade e seu caráter, sempre bom. Até Jesus, diante da sua morte eminente, teve negado o seu pedido de ser poupado do sofrimento. Com ele aprendemos a postura de humildade e confiança em Deus, e podemos também orar: “não seja feito o que eu quero, mas o que tu queres” (Mt 26.39).

3.27 Suba o monte Pisga e… olhe. Deus concedeu, porém, a oportunidade de Moisés contemplar a terra do alto do monte. Ele não é insensível às nossas vontades e, tal como pais e mães fazem, abre concessões possíveis com o intuito de nos confortar.

3.28 Dê conselhos. Está chegando a hora de Moisés passar a liderança ao seu sucessor. Temos aqui um belo exemplo de como isso pode acontecer: com aconselhamento, motivação e encorajamento. Não há lugar para ressentimentos ou mágoas do líder que está saindo, nem retenção de informações para prejudicar o sucessor. O líder que deixa o cargo, a partir da sua experiência, é o que melhor pode orientar, motivar e encorajar quem vai continuar com a missão normalmente preestabelecida, que é “maior” que os dois.

Índice: Deuteronômio 1 Deuteronômio 2 Deuteronômio 3 Deuteronômio 4 Deuteronômio 5 Deuteronômio 6 Deuteronômio 7 Deuteronômio 8 Deuteronômio 9 Deuteronômio 10 Deuteronômio 11 Deuteronômio 12 Deuteronômio 13 Deuteronômio 14 Deuteronômio 15 Deuteronômio 16 Deuteronômio 17 Deuteronômio 18 Deuteronômio 19 Deuteronômio 20 Deuteronômio 21 Deuteronômio 22 Deuteronômio 23 Deuteronômio 24 Deuteronômio 25 Deuteronômio 26 Deuteronômio 27 Deuteronômio 28 Deuteronômio 29 Deuteronômio 30 Deuteronômio 31 Deuteronômio 32 Deuteronômio 33 Deuteronômio 34

Nenhum comentário:

Postar um comentário