Explicação de Ezequiel 46

Explicação de Ezequiel 46

Explicação de Ezequiel 46



Ezequiel 46 

46.1 Os sábados e luas novas frequentemente se mencionam juntos. A lua nova inicia um mês novo, cujo primeiro dia é festa.
46.2 O príncipe tem o privilégio de tomar seu aposento na parte exterior da portaria, pela qual a glória divina aparecera, mas nunca penetra por ela para os átrios do templo.
46.6 Estas ofertas eram custeadas pela nação, em geral (45.13-17). O príncipe somente fazia a oferta (4-7) no sentido de ser responsável pela distribuição diária do fundo das ofertas do povo; a oferta particular da parte deste último descreve-se no v. 12.
46.7 Um him de azeite. É a sexta parte do bato, e dá 3,66 litros: Não há equivalente nas medidas secas, de maneira que a medida de 3,66 chama-se “a sexta parte de um efa”, v. 14. A nota dos vv. 11 e 12 do capítulo anterior dá mais detalhes.
46.8 Pelo vestíbulo. O vestíbulo ficava na parte interior da portaria, dando vistas para o pátio do templo (40.6-7). Quer dizer que o príncipe entrava pelas demais portas (9-10).
46.9 O povo do terra. A expressão refere-se a todos os que não eram sacerdotes, levitas, profetas ou anciãos. Só mais tarde veio a indicar os judeus que tinham permanecido no território nacional, misturando-se com os pagãos, enquanto Ezequiel estava pastoreando os cativos na Babilônia (Ed 9.1-2).
46.12 Oferta voluntária. Uma dádiva não exigida pela lei. O ato de dar graciosamente já é algo que o próprio Deus ensina pelo exemplo supremo de conceder-nos com Cristo todas as coisas (Rm 8.32). Deus ama a quem dá com alegria (2 Co 9.7), por isso mesmo concede privilégios especiais ao príncipe quando assim age, abrindo-lhe a porta oriental do átrio interior do templo; a porta exterior nunca se abria (44.2).
46.13 Sem defeito. Cristo, o Cordeiro de Deus, se ofereceu sem defeito (1 Pe 1.18-19) e convida os crentes a ficarem em contato diário com Seu sacrifício (Jo 13.10; 1 Jo 1.7-9).
46.17 Até ao ano do liberdade. É o ano do jubileu descrito em Lv 25.8-34. A terra e suas riquezas pertencem irrevogavelmente a Deus, e quem fizer uso destas, fá-lo-á como peregrino e hóspede na terra. Os homens, mordomos das bênçãos divinas, poderão fazer contratos de empréstimo dos terrenos, por um período máximo de 50 anos, mas nunca haveria um latifundiário, pois que tudo volta à tribo e à família beneficiária, a quem o proprietário, Deus, o cedeu.
46.19 Nos cantos do átrio interior estão os cômodos para serem queimadas as ofertas prescritas pela lei, e os cantos do átrio exterior são as “cozinhas” para as ofertas do povo (21-24), as quais o próprio povo consome numa solenidade também festiva (Dt 12.27).

Índice: Ezequiel 1 Ezequiel 2 Ezequiel 3 Ezequiel 4 Ezequiel 5 Ezequiel 6 Ezequiel 7 Ezequiel 8 Ezequiel 9 Ezequiel 10 Ezequiel 11 Ezequiel 12 Ezequiel 13 Ezequiel 14 Ezequiel 15 Ezequiel 16 Ezequiel 17 Ezequiel 18 Ezequiel 19 Ezequiel 20 Ezequiel 21 Ezequiel 22 Ezequiel 23 Ezequiel 24 Ezequiel 25 Ezequiel 26 Ezequiel 27 Ezequiel 28 Ezequiel 29 Ezequiel 30 Ezequiel 31 Ezequiel 32 Ezequiel 33 Ezequiel 34 Ezequiel 35 Ezequiel 36 Ezequiel 37 Ezequiel 38 Ezequiel 39 Ezequiel 40 Ezequiel 41 Ezequiel 42 Ezequiel 43 Ezequiel 44 Ezequiel 45 Ezequiel 46 Ezequiel 47 Ezequiel 48