Provérbios 1 — Estudo Teológico das Escrituras

Estudo Teológico de Provérbios 1




Provérbios 1

1:2, 3 Versículos 2–6 explicam o propósito do Livro de Provérbios. Os verbos saber, perceber e receber referem-se às maneiras como adquirimos sabedoria. Sabedoria se refere a habilidade. A instrução também pode ser traduzida como disciplina; refere-se ao processo de receber conhecimento e aplicá-lo na vida diária. A pessoa desenvolve disciplina na vida aplicando palavras de discernimento.

1:3 A palavra para sabedoria neste versículo é diferente da palavra usada no v. 1. Esta palavra denota habilidade aplicada, como a de um artesão ou músico. Ou seja, a sabedoria afeta a vida da mesma forma que as habilidades dos artistas afetam a prática de seu ofício. As palavras justiça, julgamento e equidade fornecem sabedoria, disciplina e palavras de discernimento um contexto moral. A sabedoria bíblica envolve tudo na vida; envolve uma mudança de comportamento e um compromisso com a justiça.

1:4 O simples ou “ingênuo” é jovem, inexperiente e propenso a cometer erros. Os termos prudência e discrição incluem os duros fatos da vida. uma pessoa sábia aprende por experiência como distinguir o que é verdadeiro, louvável e bom do que é falso, vergonhoso e mau (veja Romanos 12:1, 2).

1:5, 6 aumentam o aprendizado: ninguém termina o estudo da sabedoria; sempre há mais para aprender. O versículo 6 fala das lições que uma pessoa mais madura ganha com o estudo de um provérbio, um enigma, palavras de sábios e enigmas.

1:7 O temor do Senhor é o ingrediente mais básico da sabedoria. Toda sabedoria depende do conhecimento de Deus e da submissão à sua vontade. Saber algo, mas não conhecer a Deus, anula o valor de ter conhecimento em primeiro lugar. Os tolos rejeitaram o temor do Senhor. O termo desprezar tem um impacto fortemente negativo - não temer a Deus é o mesmo que rejeitar a sabedoria de uma vez (ver Daniel 11:32; João 17:3).

1:8, 9 As palavras iniciais de instrução de sabedoria vêm como um apelo dos pais a seu filho (um termo genérico para criança) - um tema que continua ao longo do livro. Pai e mãe ensinam.

1:10-14 se os pecadores o seduzirem: este é o primeiro de vários textos em que a sabedoria ensina por meio de uma história.

1:15–18 Os pais falam palavras de cautela. Um passo neste caminho íngreme é um passo em direção à destruição. Estender uma rede à vista de um pássaro que se deseja capturar seria uma tarefa infrutífera. No entanto, o tolo é menos sensato que o pássaro; ele observará a armadilha sendo armada e será pego nela de qualquer maneira.

1:19 Tira a vida: essas palavras concluem a história e introduzem um tema que as seguintes passagens desenvolvem mais: o estudo da sabedoria é uma questão de vida ou morte.

1:20, 21 A palavra sabedoria está no plural, mas o verbo chamar é singular. o plural é intensivo - chama a atenção para a palavra e intensifica seu significado.

1:22–27 A sabedoria se dirige aos simples, ou “abertos”, os ingênuos. São jovens que ainda não decidiram sobre a vida ou sobre a direção que tomarão. A sabedoria ridiculariza aqueles que a rejeitam quando enfrentam o julgamento inevitável de sua tolice (ver Salmos 2:4). No entanto, a sabedoria ri com alegria das obras de Deus e tem prazer no povo de Deus (8:30, 31).

1:28–33 Não vou responder: quando os tolos desprezam a sabedoria, eles devem enfrentar os resultados de sua escolha. Seu ódio pela sabedoria surge de uma recusa em temer a Deus (v. 29). Os versículos 31, 32 retomam o tema do v. 19 da instrução dos pais: Os tolos causam sua própria destruição. A rejeição da sabedoria os matará. Essa advertência sombria termina com uma promessa de vida para os poucos que quiserem ouvir; eles encontrarão segurança e facilidade.