2015/07/21

Significado de Hebreus 11

Significado de Hebreus 11

Significado de Hebreus 11 




Hebreus 11

11.1-39 — Tendo concluído a quarta exortação com a declaração de que os crentes deveriam viver pela fé (Hb 10.38-39), o autor, agora, discute a fé em detalhes, dando exemplos diversos, extraídos do Antigo Testamento, de pessoas que confiaram em Deus.

11.1 — Este versículo não constitui propriamente uma definição de fé, mas a descrição do que a fé pode fazer. Fundamento significa essência ou realidade. A fé trata as coisas que se esperam como realidade. Prova significa evidência ou convicção. A própria fé prova que o que é invisível é real, como serão, por exemplo, as recompensas do crente na volta de Cristo (2 Co 4.18).

11.2 — Os antigos são os fiéis do tempo do Antigo Testamento. Testemunho se refere à aprovação
de Deus. Ele os considerou justos por causa da fé que manifestaram (v. 4,5,7).

11.3 — Mundos. Pela fé entendemos que o nosso Deus, invisível, criou esse vasto universo.

11.4 — O sacrifício de Abel foi aceitável a Deus por causa de sua fé, ele foi então declarado justo. Caim oferecera seus sacrifícios sem fé (Gn 4) Abel ainda fala pelo seu exemplo, pois seu ato justo ficou registrado nas Escrituras.

11.5,6 — Aquele que se aproxima de Deus. A palavra aproximar é usada repetidamente em Hebreus para se referir ao privilégio de chegar perto de Deus (Hb 4.16; 7.25; 10.1,22). Aqui o autor de Hebreus explica que a fé é obrigatória àqueles que se aproximam do Senhor (Hb 10.22). Galardoador. Deus dá a recompensa, o galardão, àqueles que o buscam e que praticam boas obras no poder do Espírito Santo (Ap 22.12).

11.7 — Noé nunca tinha visto (v. 1) o dilúvio que Deus lhe revelou. Ainda assim, acreditou em Deus e deu toda a atenção a Seus avisos. Sua fé não só o salvou da inundação, mas também do juízo de Deus, pois se tornou herdeiro da justiça.

11.8,9 — Abraão não sabia para onde ia, mas depositou sua total confiança em Deus. Fé significa entrar obedientemente no desconhecido (v. 1). Abraão agiu assim, e Deus o considerou justo por causa disso (Gn 15.6; Rm 4-1-12).

11.10 — A cidade é a Nova Jerusalém (Ap 21.2,10). Abraão viveu na terra esperando pela futura, e ainda invisível, cidade que virá.

11.11,12 — Embora o livro de Gênesis não fale explicitamente, Sara evidentemente acreditava que nada era difícil para o Senhor (Gn 18.15). Como resultado, Deus a abençoou com o filho prometido, apesar de ela estar fora da idade de conceber. Como as estrelas do céu, e como a areia [...] na praia do mar. Essa comparação costumava ser ridicularizada quantitativamente pela ignorância humana com relação às estrelas. Hoje, os astrofísicos reconhecem a real legitimidade numérica nessa admirável comparação das estrelas do céu com os grãos de areia da praia do mar.

11.13,14 — Todos estes se referem a Abraão, Sara, Isaque e Jacó (v. 8,9,11), que morreram antes de tomar posse da terra ou ver qualquer outra das provisões do concerto de Deus. Apesar disso, persistiram na fé até o fim de sua vida terrena. Estrangeiros e peregrinos na terra. Esses homens e mulheres de fé sabiam que este mundo é temporário e que seu lar eterno seria junto a Deus.

11.15,16 — Os patriarcas e Sara não retomaram para Ur, embora pudessem tê-lo feito se quisessem. Os leitores destinatários da Epístola aos Hebreus deveriam seguir o exemplo dos patriarcas, recusando-se a retornar à religião de seus ancestrais, um sistema religioso que não oferecia a expiação do pecado (Hb 8.7-13). Da mesma forma, os cristãos devem recusar-se a retornar às atrações e perdições deste mundo (2 Tm 2.3,4; 4.10).

11.17-19 — Quando Abraão foi provado, creu que Deus, se necessário, podia fazer Isaque dos mortos ressuscitar (Gn 22.5). O incidente é uma metáfora do que Deus tem feito por nós. Isaque não seria tão bom se morto, de modo que Deus providenciou um cordeiro para ser sacrificado em seu lugar (Gn 22.9-14). Para Deus, tudo é possível. É Ele o Todo-poderoso, e Seu Filho triunfou sobre a morte (Jo 11.38-44; 1 Co 15.54-57; Ap 1.18).

11.20-22 — Isaque, Jacó e José acreditaram até o final de sua vida no futuro invisível que Deus lhes havia prometido com relação a Seu povo.

11.23 — Os pais de Moisés tiveram fé em Deus, sem temerem a opressão de Faraó.

11.24-28 — Moisés creu em Deus ao recusar alta posição na corte de Faraó. Em vez disso, escolheu sofrer com seu povo, abandonar o Egito e aceitar a Páscoa.

11.25 — Para Moisés, teria sido grave pecado abandonar o povo de Deus (Hb 10.25).

11.26 — O vitupério de Cristo se refere à terrível morte que Cristo receberia. Tal como Cristo, Moisés escolheu sofrer o ultraje do povo de Deus, em lugar de abraçar os prazeres terrenos da corte do Egito. A possibilidade de recompensa espiritual é a grande motivação para permanecermos na fé (Mt 5.10-12; 16.24-27; 1 Co 3.12-15; 2 Co 4.16-18; 2 Tm 2.11-13; 1 Jo 2.28; Ap 22.12).

11.27 — Deixou o Egito. Alguns comentaristas interpretam isso como uma referência à fuga de Moisés para Midiã. No entanto, a menção de não temendo a ira do rei se encaixa melhor com os acontecimentos do Êxodo. Naquela ocasião, Moisés mostrou verdadeira coragem e fé resoluta no Senhor (Êx 14.13,14).

11.28 — Deus ordenou a Moisés que o povo israelita aspergisse sangue nos umbrais de suas portas. Moisés creu na palavra de Deus, e o povo deu também atenção e obedeceu à advertência; como resultado, os primogênitos de todas as famílias judias foram salvos (Êx 12.1-13).

11.29 — Terra seca [...] se afogaram. Já houve quem tentasse explicar o milagre da travessia do mar Vermelho dizendo que o local era pantanoso. Se assim fosse, teria sido um milagre maior ainda que o exército egípcio tivesse se afogado em um pântano!

11.30-34 — Foi preciso fé para que os guerreiros de Israel destruíssem os muros da cidade de Jericó de maneira tão incomum. Seu ato de fé produziu os resultados que desejavam; Deus deu-lhes a vitória sobre seus inimigos (Js 6). Os caminhos de Deus nem sempre parecem ser os mais lógicos para a compreensão humana (Is 55.8), mas cumprem sempre os propósitos divinos.

11.35, 36 — A referência a mulheres que receberam pela ressurreição os seus mortos é provavelmente uma alusão à ressurreição do filho da viúva de Sarepta (1 Rs 17.17-24) e à do filho da mulher sunamita (2 Rs 4.32-37). Mas o autor de Hebreus ressalta também que nem todos que tiveram fé alcançaram vitórias — pelo menos, não de imediato. Torturados. É geralmente entendido como sendo uma alusão aos mártires da época dos macabeus, bem conhecidos do povo judeu. Uma melhor ressurreição é referência à ressurreição final e entrada magnífica no Reino (2 Pe I.11), nossa aguardada recompensa eterna.

11.37, 38 — Zacarias foi apedrejado (2 Cr 24.20,21). De acordo com a tradição judaica, o profeta Isaías foi serrado ao meio. Urias foi morto afio de espada (Jr 26.20-23). Andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras é provavelmente uma referência a Elias (2 Rs 1.8).

11.39,40 — Aperfeiçoados significa tomados completos. Essa finalização, a realização de todas as promessas de Deus na vinda do Reino de Cristo, aguarda todos os crentes.

Índice: Hebreus 1 Hebreus 2 Hebreus 3 Hebreus 4 Hebreus 5 Hebreus 6 Hebreus 7 Hebreus 8 Hebreus 9 Hebreus 10 Hebreus 11 Hebreus 12 Hebreus 13

6 comentários:

Unknown disse...

Deus abençoe muito bem explicado nos mínimos detalhes excelente trabalho

Unknown disse...

Deus abençoe muito bem explicado nos mínimos detalhes excelente trabalho

Unknown disse...

O blog Biblioteca Biblica tem sido um canal de bencaos pra vida de muitas pessoas. que Deus abencoe grandemente as vidas dos seus idealizadores. Em Nome do Nosso Senhor Jesus Cristo!

Gabriel dos Santos disse...

Uma bênção pra mim em meus estudos da Palavra. 👏👏👏 Todos vocês, que mantém viva a Biblioteca Bíblica, estão de parabéns!! Que Deus os abençoe!!

Unknown disse...

Muito bom, parabéns, conteúdos edificante.

Unknown disse...

Muito benção as explicações.Faz parte de minhas leituras da Bíblia.Deus o abençoe.

Postar um comentário