2015/08/27

Significado de Salmos 1

Significado de Salmos 1

Significado de Salmos 1

O Salmo 1, um salmo de sabedoria, apresenta vivido contraste entre o caminho do justo (v. 1-3) e o do ímpio (v. 4-6). Não e identificado o autor, nem qualquer circunstancia em que teria sido escrito o poema. Provavelmente, foi composto em um período tardio da historia de Israel. Focalizara do as diferenças de caráter e os diferentes destinos reservados para justos e ímpios, serve de introdução a todo o livro de Salmos. Este salmo e como um farol que mostra o caminho do porto em meio a tempestade. Ilumina e aponta para a verdade ate mesmo quando as falsidades de nossa cultura começam a nublar nosso discernimento. Afirma que só ha um caminho para a verdadeira vida; ignorá-lo e aceitar a morte como um tolo (Pv 1.20-33).

1.1 — A palavra hebraica traduzida por varão significa, neste contexto, pessoa, sem referencia a gênero. Que não anda. O paralelismo deste versículo fala de um envolvimento cada vez maior com a perversidade: andar, se deter, se assentar. Da mesma forma, os termos dos ímpios são progressivos: ímpios, pecadores e escarnecedores. As figuras deste versículo apresentam o justo ideal — alguém que esta no mundo, mas não e nem um pouco afetado pelo mundo.

1.2 — Tem o seu prazer. O contraste e forte. Em vez de ter prazer em mancomunar-se com os perversos, a pessoa de Deus desfruta profundamente das coisas de Deus, especialmente a Palavra de Deus. A lei do Senhor se refere especificamente ao Pentateuco, os primeiros cinco livros do Antigo Testamento. A palavra hebraica para lei expressa a ideia de Deus apontando o caminho para a vida em comunhão com Ele (SI 19.7-11). Medita significa resmunga ou fala consigo mesmo (SI 4.4). Meditar, na Bíblia, significa concentrar-se nas Escrituras.

1.3 — Como a árvore. Este símile apresenta a imagem de uma tamareira do deserto, firmemente plantada em um Oasis bem irrigado Qr 17.8). Todas as partes da arvore são valiosas e aproveitáveis para Deus — pessoas de quem Ele se agrada (SI 33.15; 147.11). Prosperara não e garantia de um futuro de riqueza material para o justo; significa, isso sim, que o justo sempre será útil e aproveitável para o Senhor.

1.4,5 — Como a moinha, o refugo que e soprado pelo vento depois da colheita dos grãos, o ímpio não possui estabilidade (SI 35.5; 83.13). Quando chegar o juízo, o ímpio não conseguira mais subsistir (SI 5.5). Isto e similar a imagem do juízo final no Sermão do Monte das Oliveiras, feito por Jesus (Mt 25.31-46).

1.6 — A Bíblia fala de dois caminhos (Pv 2.8; 4.19), dos quais apenas um leva a Deus. Este e um tema bíblico constante, culminando nas celebradas palavras de Jesus, Eu sou o caminho (Jo 14.6). Neste contexto, o verbo conhecer não se refere apenas a ciência que Deus tem, mas a um conhecimento intimo e pessoal (Sl 101.4). Deus esta envolvido intimamente com o caminho dos justos, mas não tem qualquer ligação com o caminho dos ímpios, exceto em juízo (Sl 146.9).


Continuação: Salmos 1 Salmos 2 Salmos 3 Salmos 4 Salmos 5 Salmos 6 Salmos 7 Salmos 8 Salmos 9 Salmos 10 Salmos 11




2 comentários: