2017/10/17

Salmo 1 — Comentário Devocional

Salmo 1 — Comentário Devocional

Salmo 1 — Comentário Devocional


Salmo 1

1.1 - O salmista começa exaltando as alegrias da obediência a Deus e recusando-se a ouvir aqueles que duvidam do Eterno ou ridicularizam-no. Nossos amigos e colegas podem ter uma profunda influência sobre nós. frequentemente de maneiras muito sutis. Se insistirmos na amizade com os que escarnecem do que Deus considera importante, podemos vir a pecar, tornando-nos indiferentes à vontade dEle; isso corresponde à zombaria. Seus amigos edificam a sua fé ou abalam-na? Os verdadeiros amigos devem ajudar-nos a tornarmo-nos mais íntimos de Deus, não dificultar esse processo. 

1.1ss - Deus não julga as pessoas com base na etnia, na cor, no sexo, na nacionalidade ou na classe social. Julga-as com base na fé que depositam nEle e na resposta ã sua vontade revelada. Aqueles que tentam diligentemente obedecer ã Palavra são abençoados. São como árvores frutíferas, plantadas ã margem de um rio, têm raízes profundas (Jr 17.7,8). Deus promete cuidar dessas pessoas. A sabedoria de Deus guia a vida do seu povo. Mas aqueles que não confiam nem obedecem a Deus, têm uma vida sem sentido, são levadas como o pó. Existem apenas dois caminhos diante de nós: o da obediência a Deus ou o da rebelião e da destruição. Não deixe de escolher o caminho de Deus, porque esta opção determina onde e como você passara a eternidade. 

1.2- Você pode aprender a seguir a Deus lendo e meditando em sua Palavra. Deve separar um tempo para o estudo e perguntar a si mesmo o que é necessário mudar, para que possa viver conforme a vontade de Deus. Conhecer e pensar sobre a Palavra dEle são os primeiros passos para aplicá-la em sua vida cotidiana. Se você quer seguir a Deus de modo mais íntimo, deverá conhecer aquilo que Ele diz em sua Palavra. 

1.2 Esta lei são as Escrituras: os primeiros cinco livros de Moisés, os Profetas e os outros escritos. Quanto mais conhecermos a extensão da Palavra de Deus, mais princípios teremos para nos guiar em nossas decisões diárias. 

1.2,3 - Existe sabedoria nestes dois versículos; quanto mais nos regozijarmos em obedecer a Deus, mais frutíferos seremos. Por outro lado, quanto mais permitirmos que aqueles que ridicularizam a Deus afetem nossos pensamentos e nossas atitudes, mais nos separaremos da nossa Fonte de nutrição. Para testemunhar aos incrédulos devemos ter contato com eles, mas não devemos imitar ou participar de seu comportamento pecaminoso. Se você quer o desespero, fique junto aos pecadores e escarnecedores; mas se deseja a bênção de Deus, faça amizade com aqueles que amam o Senhor e a sua Palavra. 

1.3 - A frase "tudo quanto fizer prosperará" não significa que o justo será imune ao fracasso ou ás dificuldades. Também não se trata de uma garantia de saúde, riqueza e felicidade. Significa que, quando aplicamos a sabedoria de Deus à nossa vida, produziremos o melhor e teremos a aprovação de Deus. Da mesma maneira que uma arvore absorve a água e os sais minerais e produz frutos deliciosos, nos também devemos absorver a Palavra de Deus, afim de termos atitudes que honrem a Deus. Para alcançarmos algo que valha a pena, devemos ter a Palavra de Deus em nosso coração. 

1.4 - A moinha é a casca ou a palha, que deve ser removida para se obter o valioso grão. A moinha era removida por dois processos: a debulha e o joeiramento. Depois de os ramos serem cortados, eram triturados, e os pedaços lançados ao ar. Por ser muito leve, a moinha é levada para longe pelo vento mais tênue, enquanto o bom grão cai de novo sobre a superfície. A moinha é a alegoria do ímpio que segue sem direção. O grão, do justo, o homem que pode ser usado por Deus. Porém, diferentemente do grão, o ser humano pode escolher que caminho deseja seguir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário